Domingo, 14 de Julho de 2024
49 9 9111-4949
Corporativas Direito de família

DIVÓRCIO, POR ONDE COMEÇAR?

Orientações básicas para dar início ao processo.

04/10/2023 21h08 Atualizada há 9 meses
Por: Redação Fonte: Luciana Z. Lunedo
Pixabay
Pixabay

Orientações básicas para dar início ao processo.

Primeiramente, faz-se necessário observar que o artigo 226, parágrafo §6º da Constituição Federal, dispõe que o casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio, sendo que seu pedido somente competirá aos cônjuges, conforme artigo 1.582 do Código Civil.

Neste aspecto, ressalto que temos dois tipos de divórcio; o consensual e o litigioso.

Continua após a publicidade
Anúncio

Deste modo, o divórcio consensual é caracterizado quando os envolvidos chegam a um acordo, e o caso não evolve questões mais complexas, nem filhos menores ou incapazes. Assim, podendo nesse contexto ser realizado a separação de forma extrajudicial em cartório.

Já o divórcio litigioso, tem presente entre os envolvidos questões complexas e sem resoluções. Ou casos em que o casal possui filhos menores ou incapazes. Logo, a separação deverá acontecer necessariamente de forma judicial, pois trata-se de um caso mais delicado.

Desta forma, os assuntos tratados no divórcio consistem entre a partilha de bens e dívidas comuns, pensão alimentícia entre cônjuges e a manutenção ou retirada do sobrenome do ex-cônjuge. Sendo que deverá ser observado o regime de bens escolhido pelo casal.

Ainda, caso tenham filhos menores de idade, o pedido de divórcio poderá ser cumulado com o de guarda, pensão alimentícia e o período de convivência do filho com o outro genitor (visitas).

Por conseguinte, para dar início ao pedido de divórcio leve consigo os seguintes documentos:

·        Documentos pessoais (RG, CPF, Comprovante de Residência e Renda);

·        Certidão de Casamento atualizada;

·        Documentos dos Bens Móveis e Imóveis e Dívidas, caso haja (atualizados);

·        Certidão de Nascimento dos filhos (se houver);

·        Demais documentos que ache necessário para o deslinde do caso.

Além disso, observa-se que tanto para os casos judiciais como para os extrajudiciais, é necessário o acompanhamento de um advogado. Portanto, procure um advogado de sua confiança para que este possa lhe auxiliar da melhor forma possível.

E por fim, com base em minha experiência prática, ressalto que em casos envolvendo filhos menores, procure resolver o divórcio de forma amigável, visto que haverá um ex-casal, mas jamais existirá ex-pais.

Dra. Luciana Z. Lunedo
OAB/PR 93385
OAB/SC 57.392-A

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Luciana Z. Lunedo
Sobre Luciana Z. Lunedo
Advogada sob registros OAB/PR93.385 e OAB/SC57.392-A, LUCIANA ZANCO LUNEDO é formada em Direito pela Unochapecó, tendo especialização na área de Direito Previdenciário pela Universidade Candido Mendes - UCAM.
Chapecó, SC
Atualizado às 04h02
Tempo nublado

Mín. Máx.

Sensação
0.94 km/h Vento
100% Umidade do ar
100% (10.75mm) Chance de chuva
Amanhã (15/07)

Mín. Máx. 14°

Tempo nublado
Amanhã (16/07)

Mín. Máx. 17°

Tempo nublado
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias