Domingo, 26 de Maio de 2024
49 9 9111-4949
Agricultura Agricultura

Cidasc alerta para obrigatoriedade de registro de prestadores de serviços com drones pulverizadores de agrotóxicos junto à companhia

Foto: Divulgação / CidascMedida é prevista em lei e busca auxiliar na fiscalização sobre aplicação dos defensivosA Companhia Integrada de Desenvolv...

12/04/2024 18h01
Por: Redação Fonte: Secom SC
Foto: Reprodução/Secom SC
Foto: Reprodução/Secom SC

Foto: Divulgação / Cidasc

Medida é prevista em lei e busca auxiliar na fiscalização sobre aplicação dos defensivos

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) alerta sobre a necessidade de registro das empresas prestadoras de serviço em aplicação terrestre e aérea de agrotóxicos, incluindo operações com drones, junto à companhia. Esta medida, prevista em lei, visa fortalecer a fiscalização sobre a aplicação dos defensivos agrícolas, garantir o cumprimento das regulamentações estaduais referentes a agrotóxicos, seus componentes e afins.

Continua após a publicidade
Anúncio

De acordo com o engenheiro-agrônomo e gestor da Divisão de Fiscalização de Insumos Agrícolas (Difia) da Cidasc, Geovani Pedro de Souza, o alerta para a necessidade de registro dos prestadores de serviços é em resposta ao aumento na quantidade de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP), popularmente conhecidas como drones, utilizadas para pulverização agrícola em todo o país nos últimos meses. Tal crescimento ocorreu após a simplificação das regras para utilização desses equipamentos em operações aeroagrícolas, promovida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em maio de 2023. 

Além disso, houve um aumento considerável no número de denúncias relacionadas ao uso inadequado dos drones, resultando em prejuízos para plantações vizinhas devido ao manejo inadequado desses equipamentos. É fundamental que os produtores rurais que planejam contratar serviços utilizando drones verifiquem se a empresa ou profissional que estão considerando contratar possui o devido registro na Cidasc. Essa verificação garantirá a escolha por um serviço que atenda aos padrões exigidos de qualidade e legalidade.

Foto: Reprodução/Secom SC
Foto: Reprodução/Secom SC

Segundo os dados disponibilizados pela Anac, o Brasil atualmente conta com mais de 137 mil drones registrados, sendo que 4.136 destes foram categorizados para pulverização agrícola. Esse cenário ressalta a importância de uma regulamentação eficaz e um controle rigoroso sobre essas atividades.

O registro junto à Cidasc é essencial para o funcionamento regular das empresas prestadoras de serviço em aplicação de agrotóxicos, bem como para a obtenção ou renovação de registros. As pessoas físicas ou jurídicas envolvidas na produção, comercialização, importação, exportação, armazenamento, ou na prestação de serviços relacionados aos agrotóxicos devem cumprir com esta obrigatoriedade.

Para efetuar o registro junto à Cidasc, as prestadoras de serviço de aplicação terrestre e aérea de agrotóxicos devem apresentar a documentação específica conforme descrito no Decreto Estadual. Os escritórios locais da companhia, presentes em diversos municípios catarinenses, estão preparados para receber tais solicitações. É fundamental que o registro junto à Cidasc seja realizado simultaneamente ao registro junto à Anac e ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), garantindo assim a conformidade com todas as exigências legais e facilitando a atuação conjunta dos órgãos na fiscalização.

Os agricultores que são proprietários de drones de pulverização agrícola, não necessitam de registro junto à Cidasc, porém, só podem utilizar essa tecnologia dentro de sua própria propriedade, sendo vedada a prestação de serviços a terceiros. No entanto, é permitido o uso compartilhado de uma mesma aeronave, desde que cada um possua seu próprio registro junto ao Mapa. “Vale ressaltar que a aplicação dos defensivos devem seguir as orientações do Receituário Agronômico”, destaca Geovani Pedro de Souza, engenheiro-agrônomo e gestor da Divisão de Fiscalização de Insumos Agrícolas (Difia) da Cidasc.

“A Cidasc reitera o seu compromisso em promover a segurança alimentar e o desenvolvimento sustentável do agronegócio catarinense, e ressalta a importância do cumprimento das regulamentações vigentes para assegurar a qualidade e a sustentabilidade da produção agrícola do Estado”, afirma Geovani.

Para mais informações sobre o registro de prestadores de serviços com drones de pulverização agrícola junto à Cidasc, os interessados podem entrar em contato com os escritórios locais da companhia ou acessar o site oficial da Cidasc.

Foto: Reprodução/Secom SC
Foto: Reprodução/Secom SC

Regras

Além do registro da empresa prestadora de serviço em aplicação aérea de agrotóxicos junto à Cidasc, existe também legislação específica nacional, orientada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), para a utilização dos drones. A Portaria n.º 298/2021 do Mapa estabelece regras para operação de aeronaves remotamente pilotadas destinadas à aplicação de agrotóxicos e afins, adjuvantes, fertilizantes, inoculantes, corretivos e sementes.

A portaria determina que todos os operadores de ARP deverão possuir registro junto ao Mapa, mediante requerimento no Sistema Integrado de Produtos e Estabelecimentos Agropecuários (Sipeagro), e que os drones devem estar em situação regular junto à Anac. A portaria também regulamenta sobre o uso de entidades de ensino, sobre a segurança operacional e o registro de dados. A íntegra do documento está disponível no link: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-mapa-n-298-de-22-de-setembro-de-2021-347039095    

Mais informações à imprensa:
Alessandra Carvalho
Assessoria de Comunicação – Cidasc
Fone: (48) 3665 7000
ascom@cidasc.sc.gov.br
www.cidasc.sc.gov.br
www.facebook.com/cidasc.ascom
https://www.instagram.com/cidascoficial/
Ouvidoria: 0800 644 8500

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias