Chapecó | 02.12.2016 | 20h26 Geral

Profissionais da RBS vítimas de acidente com avião da Chapecoense terão cerimônia em Florianópolis

Os profissionais da RBS em Santa Catarina (Grupo NC), vítimas do acidente com o avião da Chapecoense na Colômbia, serão velados e sepultados em Florianópolis neste sábado (03/12).

Os corpos de André Luiz Goulart Podiacki, Bruno Mauri da Silva, Djalma Araujo Neto, Giovane Klein Victória e Laion Machado de Espíndula serão conduzidos para o Brasil nesta sexta-feira em um voo fretado de Medellín, na Colômbia, por volta das 20h no horário local (23h no horário de Brasília). Após uma escala de uma hora e meia no Rio de Janeiro durante a madrugada, a aeronave seguirá para Florianópolis, com previsão de chegada por volta de 7h30min de sábado.

Na capital catarinense, as urnas funerárias serão encaminhadas para a Catedral Metropolitana, no Centro de Florianópolis, onde está prevista para as 10h uma homenagem coletiva aberta ao público, com missa celebrada por Dom Wilson Tadeu Jönck, Arcebispo da Arquiodiocese de Florianópolis. Na sequência, por volta do meio-dia, os corpos seguirão para os locais onde serão velados, conforme informações abaixo:

André Luiz Goulart Podiacki será velado na capela do Cemitério do Itacorubi, em Florianópolis, mesmo local em que será sepultado.

Bruno Mauri da Silva será velado no Campo do Avante, no bairro Pachecos, em Palhoça, e sepultado no Cemitério Bom Jesus de Nazaré, no bairro Passa Vinte, também em Palhoça.

Djalma Araujo Neto será velado na capela do Cemitério do Itacorubi, em Florianópolis, e depois seguirá para o Cemitério Municipal de Canajurê.

Giovane Klein Victória seguirá em um voo para Pelotas, no Rio Grande do Sul, onde será velado no estádio do Futebol Clube Pelotas. Depois, será encaminhado para o cemitério da Comunidade São Marcos, em Passo de Salso.

Laion Machado de Espíndula seguirá de Florianópolis em um carro funerário para Terra de Areia, também no Rio Grande do Sul. Lá, será velado no Cemitério Municipal São José, mesmo local do sepultamento.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE