Chapecó | 12.12.2016 | 17h36 Geral

Lula iria para 2º turno com Marina mas perderia, diz pesquisa

Pesquisa Datafolha aponta que Lula (PT) venceria o primeiro turno, mas perderia no segundo para Marina Silva (Rede).
A ex-senadora Marina Silva (Rede Sustentabilidade) é a candidata favorita de um segundo turno das eleições presidenciais de 2018 em todos os cenários. É o que indica os dados da nova pesquisa nacional do Datafolha, divulgada nesta segunda-feira (12). De acordo com a pesquisa, que levou em consideração a intenção de voto de 2.828 pessoas com 16 anos ou mais de todo o Brasil, a ex-ministra de Meio Ambiente no governo Lula estaria nele em todos os cenários hipotéticos pesquisados pelo Instituto. Marina Silva nunca disputou o segundo turno nas outras eleições que disputou.

Contra o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) – que cresceu em relação à última simulação realizada em julho e é o favorito no primeiro turno com 25 pontos percentuais – Marina conseguiria derrotar Lula no segundo turno com uma diferença de 9 pontos. Para o primeiro turno, ela está em segundo lugar nas intenções de voto, com 15 pontos. A ex-senadora também aparece na frente contra os possíveis candidatos do PSDB, que já teriam uma pequena desvantagem em relação a Lula. Contra o senador Aécio Neves, que é o terceiro candidato que apareceu na pesquisa, com 11 pontos, Marina também seria a vencedora.

Já contra o ministro das Relações Exteriores do país, José Serra, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a diferença seria ainda maior e Marina conseguiria com folga a vitória. Até em uma simulação com o juiz federal Sérgio Moro a política iria para o segundo turno, com um empate numérico de 11 pontos percentuais das intenções de voto, mas assumiria mais uma vez a liderança.

Outro dado importante da pesquisa é que o atual presidente Michel Temer ficou com apenas 4 pontos da intenção de voto. Além disso, o político do PMDB tem o maior percentual de rejeição para o primeiro turno de 2018, taxa que subiu de 29% em julho para 45% agora.

Fonte: WH Comunicações