Chapecó | 03.12.2016 | 08h06 Geral

Lágrimas e gratidão: o primeiro contato das vítimas da Chape com brasileiros

Corpos permaneceram em Manaus por cerca de quatro horas. Próxima parada é Chapecó, onde os voos devem chegar por volta das 8h (horário de Brasília)

Os três C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB), que transportam as 50 vítimas fatais do voo que levava a delegação da Chapecoense e jornalistas para Medellín, na Colômbia, pousaram na Base Área de Manaus por volta das 23h20 (horário de Brasília) desta sexta-feira. As cercas de quatro horas que os aviões permaneceram na capital amazonense foram mais que suficientes para uma multidão aglomerar-se ao redor do local.

+Prefeito de Chapecó enaltece Medellín e avisa: ''A Chapecoense não vai cair''

Assim como em Medellín, Chapecó e também no mundo, não faltou homenagens da população amazonense. Era comum ver fãs às lágrimas apoiando o time catarinense.

- Somos torcedores fanáticos, de coração. A gente queria estar lá (em Chapecó), mas como não podemos ir agora... É como se perdêssemos um membro da família, até mais. Quero que Deus abençoe a todos os familiares. É preciso ter muita força para que a gente possa dar a volta por cima. A Chapecoense via dar a volta por cima - disse o motorista Márcio Antônio, catarinense e torcedor apaixonado pelo clube.

O acidente aéreo na Colômbia matou 71 pessoas e seis feridos. Entre as vítimas, estão atletas, membros da comissão técnica e convidados do clubes, além de tripulantes e 21 jornalistas. Entre os que sobreviveram à tragédia, estão o goleiro reserva, Jackson Follmann, o zagueiro Neto, o lateral Alan Ruschel, o jornalista Rafael Henzel e dois membros da tripulação, Ximena Suárez e Erwin Tumiri. O goleiro Danilo foi resgatado com vida, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital para onde foi transferido. Todos os outros 71 corpos foram encontrados pela unidade de resgate local.

Fonte: G1