Maringá | 13.05.2021 | 23h23 Geral

Jovem recebe carta de vizinho reclamando de “roupas vulgares” no PR

Uma jovem de 22 anos foi surpreendida na última sexta-feira com uma reclamação feita por um vizinho do condomínio em que vive, em Maringá, norte do Paraná. O rapaz escreveu uma carta para Ana Paula Benatti criticando e atacando a moradora pelas roupas utilizadas por ela.

Sem identificar-se, o rapaz diz ser “pai de família” e estar “com vergonha” pelas “roupas vulgares” vestidas por Ana Paula. Ele afirma, ainda, que a jovem está “desrespeitando” os vizinhos ao vestir-se de tal maneira.

“Gostaríamos que tivesse o pudor e decência de usar roupas adequadas nas dependências do condomínio. Aqui, moram pessoas casadas, de várias religiões, e a senhora não está tendo o respeito usando roupas vulgares”, diz o bilhete.

“Eu, como homem e pai de família, fiquei com vergonha de estar com minha filha, e a senhora quase nua lá fora. Muda o jeito de se portar neste lugar ou vamos conversar com a dona do apartamento. Aqui não é zona não! Respeita as famílias deste lugar”, completa.

A jovem concedeu entrevista ao G1 e contou ter se sentido humilhada com as ofensas proferidas pelo vizinho. Ela foi à Polícia Civil na última terça e registrou boletim de ocorrência relatando o caso.

“Estamos em 2021 e ainda tem gente que julga por conta do que vestimos. Isso só reforça esse pensamento de 'foi abusada porque estava com roupa curta', ou 'estava provocando', e não é assim. Me assusta pensar que uma roupa pode ser a justificativa para um crime ou uma situação como essa que passei", declarou ao site.

Jovem vive há menos de duas semanas no condomínio
Ana Paula explicou que mudou-se para o apartamento no início do mês e, como vivia a menos de uma semana no local, acreditava que a carta recebida no fim da tarde do último dia 7 teria conteúdo bem mais amistoso.

"A princípio pensei que era algo de boas-vindas ou relacionado à mudança. Na hora que li aquelas palavras comecei a sentir repulsa, nojo, comecei a chorar muito porque não queria acreditar naquilo", lembrou.

A jovem foi imediatamente às redes sociais e postou a foto do bilhete, denunciando o “crime moral”: “assédio e injúria”. O caso gerou repercussão, e Ana Paula foi procurada pelos responsáveis pelo condomínio no dia seguinte.

"Me deram apoio, falaram que vão ajudar no que precisar. O síndico comentou que todos os moradores serão notificados. Na quinta (13), vou com o meu advogado olhar as imagens das câmeras para ver se conseguimos alguma pista do responsável. O delegado ficou com a carta como prova do crime de calúnia e difamação", afirmou.

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

SIGA O PORTAL ACONTECEU NO INSTAGRAM

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO TELEGRAM

Fonte: YAHOO NOTÍCIAS