Chapecó | 17.05.2022 | 11h11 Polícia

Inmet alerta para risco de tempestade subtropical Yakecan virar furacão no Sul

O Instituto Nacional de Meteorologia e a Marinha confirmaram o "alerta laranja" para a tempestade subtropical batizada de Yakecan, que deve atingir o Rio Grande do Sul com mais intensidade a partir da tarde desta terça-feira. Conforme os especialistas anunciaram em entrevista coletiva, realizada em Brasília na noite desta segunda-feira, os ventos devem superar os 100 km/h no trajeto da tempestade.

Atualmente, encontra-se no "nível laranja" de alerta, podendo passar para o vermelho, nível máximo, conforme a evolução. Os ventos podem ultrapassar os 100 km/h, e devem ser mais fortes no Rio Grande do Sul a partir da tarde desta terça-feira e ao longo da noite, entrando na madrugada de quarta-feira.

A coletiva foi realizada no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, do Ministério do Desenvolvimento Regional, em Brasília. Conforme a coordenadora geral de meteorologia aplicada do Inmet, explicou sobre o monitoramento, desde a semana passada, de um ciclone subtropical que se desprendeu e mudou de categoria, passando então para tempestade subtropical - quando passam a receber nomes.

Conforme a configuração, além das 30 cidades do Rio Grande do Sul que podem ser atingidas, o Yakecan pode avançar para os territórios de Santa Catarina, Paraná, e chegar até a região sul de São Paulo.

O Inmet também alertou para as baixas temperaturas em decorrência da frente fria. Em Brasília, por exemplo, as mínimas podem chegar a 6°C. Há possibilidade de neve nas serras gaúcha e catarinense, com forte incidência de geada em diversos pontos do país.

Defesa Civil do RS em alerta máximo

Quem também participou da coletiva de forma remota foi o chefe da Defesa Civil no Rio Grande do Sul, coronel Julio Cesar Rocha Lopes. Ele garantiu que o órgão está em "alerta máximo" diante dos riscos para os moradores do Estado.

A Defesa Civil também garantiu contato constante com as secretarias para minimizar os riscos. Afirmou, ainda, atenção especial aos municípios próximos à costa, onde os riscos de danos são maiores.

Ele também fez um apelo para que a população se cadastre para receber os alertas da Defesa Civil, via celular, no 40199, e siga o órgão nas redes sociais, para garantir acesso às informações oficiais.

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

SIGA O PORTAL ACONTECEU NO INSTAGRAM

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO TELEGRAM

Fonte: CORREIO DO POVO