Timbó | 06.01.2022 | 13h13 Agronegócio

Defesa Civil confirma passagem de tornado com rajadas de vento de 130km/h em SC

A Defesa Civil de Santa Catarina confirmou na manhã desta quinta-feira (6) que os estragos causados por fortes rajadas de vento em Timbó, no Vale do Itajaí, na tarde de quarta-feira (5) foram causados por um tornado. O vento estimado na região passou dos 130km/h.

De acordo com a nota técnica elaborada pela Diretoria de Gestão de Risco, entre a tarde e noite de quarta-feira (5), a passagem de uma frente fria pelo sul do Brasil, aliadas ao calor sazonal e a disponibilidade de umidade foram responsáveis pelo desenvolvimento de tempestades.

“Esta condição atmosférica favoreceu o desenvolvimento de áreas de instabilidade que ocasionaram temporais acompanhados de chuva intensa, descargas elétricas (raios), rajadas de vento e nas regiões do centro leste catarinense e o destaque para a ocorrência de um tornado no Médio Vale do Itajaí”, consta no documento.

"Com base nos registros dos danos enviados para a Defesa Civil de SC, pelas coordenadorias regionais, das imagens de radar e satélite analisadas do dia 5 de janeiro de 2022 e das estações meteorológicas é possível afirmar a ocorrência de tempestades no estado de Santa Catarina e a ocorrência de um tornado no município de Timbó", informa o órgão no informativo divulgado.

O temporal também causou estragos em outras duas cidades. Houve registro de deslizamentos, pontos de alagamentos e quedas de árvores.

De acordo com a Defesa Civil, as imagens do radar meteorológico de Lontras, na mesma região, mostraram núcleos de temporais e células tornádicas às 16h57 nas proximidades de Timbó. "Nesta região, observa-se uma supercélula sobre o município, com características de tempestade severa".

"O bairro mais atingido foi o Industrial, onde tivemos muitos destelhamentos em galpões, telhas foram arremessadas a quase 200 metros de distância", disse o coordenador da Defesa Civil do município, Fabio Melere.

Também houve um desmoronamento de terra, causado pela chuva, que acabou comprometendo o serviço de abastecimento de água em alguns bairros, de acordo com a prefeitura.

Antes da confirmação por parte do órgão estadual, a Defesa Civil municipal tratava o caso como um microexplosão, concentração de fortes rajadas de ventos em uma pequena localidade. No entanto, por conta dos estragos e análises meteorológicas, ocorreu a identificação do fenômeno natural.

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

SIGA O PORTAL ACONTECEU NO INSTAGRAM

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO TELEGRAM

Fonte: G1