Chapecó | 28.08.2021 | 14h10 Agronegócio

China quer os recursos naturais do Brasil, incluindo água e alimentos

Autoridades norte-americanas denunciaram práticas utilizadas pelo governo chinês visando dependências e associações de confiança. Segundo alertou o chefe do comando Sul dos Estados Unidos, Craig Faller, o foco principal está nos recursos naturais e nos alimentos.

A água é a prioridade. A China tem 18% da população mundial e 8% de água doce, enquanto a América Latina e o Caribe têm 30% da água doce do planeta. O país oriental ainda advertiu que aumentou em demasia a influencia da China na região.

Trata-se de uma superpotência expandindo seus domínios beneficiada com a situação atual. É compreensível o sinal de alerta dos Estados Unidos, mas o que mais chama a atenção nesse alerta é a estratégia utilizada pelo governo Xi Jinping, aproveitando a corrupção generalizada para praticar seus avanços tanto na área privada como pública.
Está exposto no relatório de que uma das táticas habituais é a de oferecer lucrativos subornos em troca de acordos favoráveis. É com essa tática, bem recebida também no Brasil, que a China aumenta sua participação nas mais variadas atividades.

Está na corrupção, vergonhosamente de convivência cultural no nosso país, uma das portas de entrada da China, que não perde tempo. O foco ideológico chinês é instalar um sistema mundial onde regimes autoritários sejam formas legítimas de governo.

Napoleão Bonaparte nos séculos 18 e 19 já dizia que a China é um gigante adormecido, mas no dia em que acordar o mundo vai estremecer.

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

SIGA O PORTAL ACONTECEU NO INSTAGRAM

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO TELEGRAM

Fonte: ND +