Chapecó | 03.12.2016 | 09h24 Geral

Acidente com avião da Chapecoense transforma o verde na cor da solidariedade

Tradicionalmente identificada como a cor da esperança, o verde tem ganhado mais um significado diante da tragédia da Chape. Hoje representa mais do que nunca o sentimento de solidariedade, manifestado em milhares de homenagens pelo mundo afora. A ponte Anita Garibaldi, no Sul do Estado, também recebeu os tons da Chapecoense. Batizada com o nome da maior heroína de SC, é mais um justo reconhecimento aos guerreiros do Oeste.

Braços abertos
A imagem do monumento mais famoso do Brasil iluminado com as cores da Chape correu o mundo nos últimos dois dias. A ideia foi do presidente da Embratur, catarinense Vinicius Lummertz, que telefonou para o padre Omar Raposo, da Arquidiocese do Rio de Janeiro, responsável pelo do Cristo Redentor. A sugestão foi aceita na hora. E lá estão os braços abertos em verde e branco, com se oferecesse redenção para superar tamanha dor.

Do Oeste para o mundo
Cerca de 400 jornalistas e técnicos, de mais de 40 países, estão em Chapecó para a cobertura do velório coletivo que irá ocorrer neste sábado. Foi necessário montar uma operação às pressas para oferecer condições de trabalho e até de hospedagem para tantos profissionais de imprensa.

Soy loco por ti
"Bamo, bamo chapeeeeee" entoado por milhares de pessoas em Medellín na linda celebração de quarta-feira, já pode ser considerado um símbolo de integração latino-americana. O Nacional deu um exemplo para o mundo.

Honras militares
O velório coletivo dos 71 corpos no Índio Condá está sendo coordenado pelo cerimonial do governo do Estado. Uma equipe do Gabinete da Presidência da República também integra o planejamento, que terá um protocolo com honras militares. O gramado será liberado apenas aos familiares e autoridades, com as arquibancadas abertas ao público. A previsão é de 2,5 mil pessoas no gramado, 20 mil no estádio e milhares no entorno, totalizando cerca de 100 mil pessoas. A programação oficial deve durar duas horas e o velório quatro horas

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE