Chapecó | 30.06.2019 | 09h59 Mundo

Trump se torna o primeiro presidente americano a entrar na Coreia do Norte

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se reuniram neste domingo (30) na zona desmilitarizada na fronteira entre as Coreias, conhecida como DMZ.

Durante o encontro em Panmunjom, na fronteira, Trump entrou, por um breve momento, em território da Coreia do Norte. Após alguns passos no local, ele disse que foi "um grande dia para o mundo".

Trump e Kim Jong-un se cumprimentaram com aperto de mãos e o líder norte-coreano destacou que era a primeira vez que um presidente dos Estados Unidos visitava a Coreia do Norte. Trump disse que foi uma honra atravessar a fronteira.

O encontro foi o terceiro entre os líderes. No início de 2019, Donald Trump e Kim Jong-un encerram um encontro antes do previsto e sem chegar a um acordo sobre o programa nuclear da Coreia do Norte.

Neste domingo, eles entraram na Área de Segurança Conjunta, conhecida como JSA na sigla em inglês, onde conversaram por 50 minutos.

Mais tarde, Trump disse que convidou Kim para visitar a Casa Branca — não foi divulgado se o convite foi aceito.

Encontro motivado por um tuíte
O encontro aconteceu após um tuíte de Trump. Ao fim da cúpula do G20, no Japão, o presidente americano escreveu que iria à Coreia do Sul e que estava disposto a encontrar Kim Jong-un na fronteira "apenas para apertar sua mão e dizer olá".

"Após várias reuniões muito importantes (...) deixarei o Japão rumo a Coreia do Sul (com o presidente Moon). Enquanto estiver lá, se o presidente Kim da Coreia do Norte olhar isto, eu o encontraria na Fronteira/DMZ apenas para apertar sua mão e dizer olá (?)!", escreveu.

Neste domingo, durante uma conferência de imprensa conjunta com Trump, o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, havia dito que haveria "um aperto de mão pela paz". E Trump havia indicado que queria encontrar Kim Jong-un, com quem ele disse que tinha um relacionamento muito bom.

De acordo com Moon, até mesmo um aperto de mão e um breve encontro entre os dois líderes seria um passo significativo em direção à paz.

Embora Trump tenha iniciado seu mandato em 2017 com um forte discurso contra a Coreia do Norte, seu governo mais tarde começou a se aproximar de Pyongyang com o objetivo de chegar a um acordo para a desnuclearização da península coreana.

Fonte: BBC Brasil