Brasília | 28.03.2018 | 18h30 Política

Temer diz que ataque à caravana do PT é "raivoso" e que "não se pode ameaçar ministros do STF"

Em entrevista à rádio Bandnews FM de Vitória, no Espírito Santo, o presidente Michel Temer lamentou o ataque contra a caravana do ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva. Classificou o ato como uma coisa raivosa e destacou que essa onda de violência, esse clima de ‘uns contra outros’, não pode continuar.

O presidente também comentou as ameaças recebidas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin. Nesta semana, em entrevista à televisão, Fachin disse que pediu providências à presidente da Suprema Corte, Carmen Lúcia, após ameaças à família dele. Nesta quarta-feira, Michel Temer foi enfático ao dizer que não se pode ameaçar ministros do Supremo.

Temer aproveitou a entrevista para justificar o porquê escolheu ser candidato nas eleições de outubro. Disse que a disputa precisa de alguém que possa defender medidas adotadas na atual gestão, como as reformas trabalhista e do ensino médio e a redução dos juros e da inflação. Também afirmou que está conectado politicamente com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Ele comentou ainda que a reforma da previdência não saiu da pauta política. Enfatizou que qualquer candidato vai ter que falar sobre o assunto, se é favorável ou contrário.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL