Chapecó | 11.05.2019 | 14h15 Trânsito

Sem ponte, rodovia estadual segue sem data de inauguração no Oeste de SC

Uma nova rodovia estadual no Oeste catarinense está praticamente pronta, mas ainda não foi inaugurada. O motivo é a falta da construção de uma ponte por cima do rio que corta a estrada. A situação ocorre no município de Seara.

O Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) informou que o projeto da ponte ainda está em análise no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que deve liberar os recursos para executar a obra.

Contorno viário
O chamado contorno viário de Seara começou a ser construído pelo estado em 2014. São quase 10 quilômetros de estrada, do trevo de acesso à Xavantina, na SC-283, à SC-155, em Itá.

O asfalto está novo, com faixas e sinalização prontas. Porém, o problema está praticamente no fim da linha. Sobre o Rio Caçador, deveria existir uma ponte para ligar o trecho à SC-155. Porém, essa ponte não estava no projeto.

Na época, o planejamento foi desenvolvido por uma equipe de engenheiros da antiga gestão da Prefeitura de Seara e entregue ao Deinfra.

Se for construída, a ponte sobre o Rio Caçador, na região de linha Bernardi, terá duas pistas, acostamento e passagem de pedestres. Mas para chegar em Concórdia e desviar totalmente o fluxo de caminhões da cidade, mais obras são necessárias:

"Agora nós temos mais oito quilômetros, praticamente oito quilômetros que tem que se fazer para fazer o contorno, senão todo o tráfego pesado vai cair dentro da cidade", afirmou o prefeito de Seara, Edemilson Canale (PSD).

Dificuldades
Atualmente, para se chegar a Seara é preciso paciência por parte dos motoristas. Um dos principais acessos é a Rua Três de Abril. A via é a parte urbana da SC-283, a principal ligação entre Chapecó e Concórdia.

O grande fluxo de carros se mistura ao intenso movimento de caminhões. Somados à serra íngreme e cheia de cuvas, vira cenário propício para acidentes.

O trajeto não é ruim só para quem desce. Também é difícil no sentido contrário. "Se pegar um motorista que não tem experiência, ele para e volta para trás e não consegue subir mais. Muito perigoso", afirma o caminhoneiro Anderson Ribeiro da Silva.

Foto: G1 SC/ NSC Total/ Divulgação

Fonte: G1 Santa Catarina