Tunápolis | 18.04.2019 | 14h00 Agronegócio

Rio Macaco Branco em Tunápolis é poluído por dejetos suínos

A denúncia chegou à Polícia Militar Ambiental e também ao setor da vigilância sanitária de Tunápolis, que estiveram no local da ocorrência na manhã desta quarta-feira,(17).

Conforme o veterinário e servidor da vigilância sanitária Eduardo Dotto, a poluição foi identificada em um afluente do Rio Macaco Branco, onde a água estava com a coloração alterada e com forte odor.

Cerca de 500 metros acima deste ponto foi identificado um riacho menor que apresentava indícios ainda maiores de poluição. Eduardo Dotto relata que a água estava com espuma e havia peixes mortos.

A Polícia Militar Ambiental esteve no local da granja de suínos, na linha Fátima. Segundo o veterinário, o agricultor responsável relatou que possui contrato com produtores vizinhos para o bombeamento do esterco gerado na propriedade. Ele disse ainda que em um destes vizinhos mais distante a bomba se rompeu e o esterco acabou contaminando o rio.

A Polícia Militar Ambiental constatou que houve uma infiltração grande de esterco no solo e que causou a poluição do rio Macaco Branco. Neste caso identificado em Tunápolis, mesmo não sendo o proprietário da granja o responsável direto pela poluição, ele responde pelo ato porque compete a ele o acompanhamento desde o fornecimento do esterco até a sua destinação final.

O produtor que possui contrato para bombear o esterco da propriedade vizinha também é responsabilizado. O veterinário Eduardo Dotto alerta os agricultores para que tomem os devidos cuidados e evitem acidentes que acarretam na contaminação do solo e da água.

A Polícia Militar Ambiental fará a avaliação detalhada no local e irá encaminhar o material para laudo. A partir dos resultados serão definidas as penalidades cabíveis ao caso. O responsável poderá responder a processo administrativo ambiental com a aplicação de multa e a processo criminal.

Fonte: PORTAL PEPERI