Florianópolis | 20.02.2020 | 08h26 Polícia

Professora é morta a facadas dentro de banheiro de escola em SC

Uma professora foi assassinada a facadas no fim da tarde desta quarta-feira (19) em Florianópolis.

O caso aconteceu no Colégio Januária Teixeira da Rocha, na Rua da Capela, bairro Campeche. O crime foi cometido por um ex-companheiro da vítima. Ela foi identificada como Elenir de Siqueira Fontão, de 49 anos. Atuava como diretora há um ano e era professora da unidade há 16 anos.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a vítima teria sofrido dois golpes de faca na lateral do pescoço em uma briga ocorrida no banheiro da escola.

Durante a briga, a mulher ainda teria conseguido dar um golpe de faca na barriga do agressor.

A professora foi socorrida por uma enfermeira que estava no colégio, que iniciou o procedimento de ressuscitação pulmonar. A equipe do helicóptero Arcanjo foi acionada, mas o médico da equipe constatou que a vítima perdeu muito sangue. A morte foi constatada às 18h.

Segundo a Polícia Militar, o suspeito entrou na escola depois que as aulas terminaram, levou a educadora para o banheiro, onde se trancou com ela e cometeu o crime.

A PM informou ainda que a professora teria terminado o relacionamento com o homem. Ele então teria ido até a escola, onde os dois se desentenderam. Ele pegou uma faca de serra da escola, levou a vítima para o banheiro e cometeu o crime.

O homem ainda teria tentado se matar. Com a chegada das equipes policiais, ele tentou fugir, mas acabou sendo detido.

O suspeito do crime, de 40 anos, foi preso em flagrante logo depois do crime. Ele foi conduzido ao Hospital Celso Ramos, no Centro de Florianópolis, porque apresentava ferimentos.

Segundo informações preliminares, ainda não confirmadas, moradores tentaram conter o suspeito após o crime.

A delegada Eliane Chaves, diretora de Polícia da Grande Florianópolis, confirmou a prisão do suspeito e disse que ele deve responder por feminicídio.

Um morador local contou que os alunos já tinham saído no momento em que o homem entrou no colégio. A diretora estaria ficando até mais tarde na escola porque tinha muito trabalho. Ela era diretora da unidade há um ano.

Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Instituto Geral de Perícias têm equipes em atendimento no local da ocorrência.

Esse foi o quinto feminicídio do ano. Segundo o coronel Araújo Gomes, comandante da Polícia Militar, neste mesmo período do ano passado o Estado registrava 10 casos. Foi o primeiro feminicídio do ano na Grande Florianópolis, segundo o comandante da PM.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

CLIQUE AQUI E SIGA O PORTAL ACONTECEU NO INSTAGRAM

Fonte: NSC total