Chapecó | 04.03.2018 | 10h36 Economia

Produtores de SC estocam toneladas de arroz por preço baixo e concorrência do Mercosul

Os produtores de arroz de Santa Catarina ainda não venderam 30 mil toneladas do produto colhido em 2017 esperando o preço de mercado subir. A safra de 2018 deve ficar em torno de R$ 36, mas esse valor não cobre o custo de produção.

Durante o ano de 2017, só houve queda no valor da saca de 50 quilos, que passou de R$ 46 para R$ 33. Caminhões com arroz estão chegando nos silos com novas levas de arroz, mas o estoque de 2017 é grande.

"Infelizmente nós estamos indo na casa do associado, do agricultor, limitando o depósito de arroz dessa safra que estamos recebendo", disse o presidente da Cooperativa Regional Agropecuária Sul Catarinense (Coopersulca), Arlindo Manenti.

Um dos motivos da crise é a concorrência com o mercado externo. Muitas indústrias estão comprando do Mercosul, que é mais barato. Segundo o presidente do Sindiarroz, Silvério Orzechowski, o arroz do sul do país está custando em torno de US$ 14, quando o do paraguaio é US$7.

"Preço baixo e média baixa, pagamos para trabalhar. Esse ano quem empatar já pode considerar um vencedor", disse o produtor Fernando Francisco.

"Vendi antes da colheita. Esse ano estou colhendo e não consigo vender. Eu sou obrigado a depositar em uma indústria sem preço para poder ter o cilo disponível para colheita", completou o produtor Valdir José Dominelli.

Fonte: G1