Dionísio Cerqueira | 05.10.2019 | 07h44 Saúde

Polícia Federal investiga contrabando e aplicação irregular de vacinas no Oeste

A Polícia Federal apreendeu frascos de vacina vazios e uma caixa de isopor em duas residências em Dionísio Cerqueira, no Oeste catarinense, na quinta-feira (3). A suspeita é de contrabando e aplicação irregular de vacinas.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas casas dos suspeitos de trazerem as vacinas da Argentina e aplicarem em Santa Catarina. Na casa de um deles a polícia encontrou os frascos de vacina vazios e em outra residência, o isopor que seria usado na conservação.

"São vestígios de que as vacinas foram aplicadas. O Ministério Público estadual recebeu uma denúncia quando tiveram notícias de casos de meningite, em março, abril, de que alguém estava vendendo e aplicando vacinas da Argentina. Devemos ouvir os suspeitos semana que vem. A preocupação maior é que não volte a ocorrer, é uma questão de saúde: não se sabe a procedência, a conservação, como foi o transporte, e a aplicação das vacinas", explica o delegado Márcio Anater, responsável pelo inquérito.

Segundo ele, os medicamentos não tem registro de procedência e não são registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive) não foi informada sobre a apreensão e orienta que a "população procure os postos de saúde para a realização das vacinas fornecidas gratuitamente pelo SUS e que tome nenhum tipo de vacina que desconheça a procedência".

A polícia não detalhou o local exato onde foram encontrados os materiais, nem informações sobre os suspeitos, que não foram detidos. Eles podem ser indiciados por importação de medicamentos sem procedência.

Fonte: G1 Santa Catarina