Chapecó | 21.12.2018 | 06h10 Polícia

Polícia Civil faz uma das maiores apreensões de drogas dos últimos anos em Chapecó

A Polícia Civil de Chapecó, por meio da Divisão de Investigação Criminal – DIC, deflagrou na tarde da última quinta-feira, dia 20, a segunda fase da operação O.R.C.A., que resultou numa das maiores apreensões de drogas dos últimos anos no oeste de Santa Catarina.

Após cerca de dois meses de investigações específicas sobre o caso, um dos principais armazenadores e distribuidores de drogas da região foi identificado e monitorado pela equipe da DIC, que obteve mandado de busca e apreensão e realizou seu cumprimento na tarde de quinta-feira.

Na residência alvo da busca, localizada no bairro Líder, foi encontrado o investigado armazenando mais de 260 (duzentos e sessenta) quilos de maconha prensada, quase 3 (três) quilos de “skank”, além de um revólver calibre .38 SPL e 40 (quarenta) munições em situação irregular.

Além desse material, ainda foram apreendidos um veículo, dinheiro e outros elementos de prova acerca do tráfico de drogas perpetrado.

A Polícia Civil acredita que com a ação põe fim a um elaborado esquema de tráfico de drogas na região.

Além do indivíduo investigado, também foi conduzida à delegacia sua esposa, que chegou ao local durante a realização das diligências.

A droga apreendida é avaliada em quase meio milhão de reais.

No que tange especificamente ao “skunk”, não se tem notícia de apreensão desse entorpecente em tamanha quantidade na região, tratando-se certamente de uma das maiores apreensões deste tipo de maconha da história da região catarinense.

Cabe lembrar que o “skunk” consiste num tipo especial de maconha que chega a ser vendido por preço até 30 (trinta) vezes superior à maconha prensada normal. No caso, somente o “skunk” apreendido alcançaria preço final de mercado próximo aos setenta mil reais.

Fonte: POLÍCIA CIVIL