Chapecó | 25.09.2019 | 17h09 Política

Plenário do Senado aprova Aras para comandar a PGR

Com 68 votos a favor, 10 contra, duas faltas e uma abstenção, o plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (25) a indicação de Augusto Aras para o cargo de procurador-geral da República.

A votação ocorreu após o subprocurador-geral Augusto Aras ter passado por sabatina de cinco horas pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, onde obteve 23 votos favoráveis, três contrários e um voto em branco.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que Aras reúne "todas as condições" para ser aprovado no plenário e exercer o cargo na PGR.

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a chefia da Procuradoria-Geral da República (PGR), Aras defendeu, durante sua sabatina, um Ministério Público moderno e desenvolvimentista, que deve atuar de forma multidisciplinar e se afastando de "caprichos pessoais".

Aras destacou ainda, sem citar nomes, que o mérito individual de procuradores deverá ser reconhecido, mas ressalvou que a confiança deve se voltar para as instituições por causa do princípio da impessoalidade.

Aras disse ainda, em exposição inicial de cerca de 10 minutos, que a operação Lava Jato representou um marco no combate à corrupção no país.

O indicado também defendeu que se compatibilize o desenvolvimento econômico juntamente com a preservação do meio ambiente, e reafirmou o compromisso de uma atuação firme e imparcial, caso seja confirmado no cargo.

Aras vai substituir Raquel Dodge, que encerrou o mandato em 17 de setembro deste ano. Desde o dia 18, o vice-presidente do Conselho Superior do MPF (Ministério Público Federal), Alcides Martins, assumiu o cargo interinamente.

Perfil de Aras
Aras nasceu em Salvador em 4 de dezembro de 1958. É bacharel em direito pela Universidade Católica de Salvador, mestre em direito econômico pela UFBA (Universidade Federal da Bahia) e doutor em direito constitucional pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

O indicado foi admitido por concurso público como professor da Faculdade de Direito da UFBA, onde lecionou por 18 anos. Atualmente é professor da UnB (Universidade de Brasília), onde dá aulas de direito eleitoral e direito empresarial, e da ESPMU (Escola Superior do Ministério Público da União).

Fonte: PORTAL R7