Florianópolis | 12.07.2019 | 20h50 Justiça

Padrasto é condenado em SC por torturar enteado de 7 anos

O padrasto de um menino de 7 anos foi condenado a três anos, dois meses e 12 dias de prisão por torturar física e mentalmente a criança. Segundo a denúncia, o caso ocorreu ao longo de 2013 no Vale do Itajaí. Homem dava socos na barriga e tapas no rosto da vítima, além de torturá-la emocionalmente.

O caso está em segredo de justiça e foi divulgado pelo Poder Judiciário nesta sexta-feira (12). A pena foi dada em primeira instância e mantida pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). O padrasto foi condenado ao regime fechado.

Denúncia
A denúncia foi feita pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Segundo o órgão, o homem tinha o costume de causar sofrimento físico e mental ao menino como forma de castigo.

Em um dos casos, o padrasto obrigou a criança a engolir fezes de cachorro e tomar água da privada após empurrar a cabeça do menino para dentro do vaso sanitário. Os crimes foram confirmados pela meia-irmã da vítima, que tem a mesma idade do garoto.

Durante o processo, o homem negou as ações e disse que havia falta de provas para a condenação. Porém, a relatora da ação judicial, desembargadora Cinthia Schaefer, afirmou que a acusação conseguiu comprovar que o padrasto cometeu os crimes e a legislação pune abusos e castigos imoderados.

Para a desembargadora, os motivos que levaram às atitudes violentas do homem não existiam ou eram banais.

Fonte: G1 Santa Catarina