Florianópolis | 17.05.2018 | 10h30 Polícia

Olhar do agradecimento: egípcio recebe ajuda em SC e volta para casa

No fim do ano passado, o 1º sargento Gilberto Soares Prestes, do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), foi atender uma ocorrência policial na área central de Florianópolis e jamais imaginaria o seu papel no enredo daquela história que se descortinava. Ele permitiu que um egípcio, que estava vivendo como morador de rua aqui no Brasil, retornasse para sua terra natal e reencontrasse seus familiares.

Naquele dia, mais um morador de rua, alterado, estaria importunando as pessoas, pedindo dinheiro e comida no Terminal Rodoviário Rita Maria, conforme foi gerada a ocorrência. Entretanto, ao chegar no local, o policial percebeu que o envolvido era estrangeiro e ficou intrigado com a história contada por ele. "Vi nele alguém que poderia ser resgatado", comentou o sargento. "Também vi nele algo semelhante com o meu filho, falecido há 11 anos. Possuía a mesma idade, 33 anos. E até a data de aniversário era próxima", completou.

Ahmed contou ao sargento que chegou ao Brasil em 2013, ao lado da esposa e duas filhas, quando tentou se manter por aqui, trabalhando com “churrasco grego”, em Canasvieiras, no Norte da Ilha. Infelizmente o negócio não prosperou e seus planos acabaram tomando outro rumo. Antes de falir, ele resolveu mandar a esposa e as filhas de volta ao Egito.

Mesmo formado em Comércio Exterior e falando sete idiomas, o estrangeiro acabou caindo no mundo das drogas e passou a viver nas ruas, até se deparar com o sargento Gilberto, que mudou o seu destino e lhe deu uma nova oportunidade.

Em conversa com o egípcio Ahmed Farid, o sargento lhe deu uns pães e um suco que haviam sobrado do seu lanche, enquanto puxava sua ficha no sistema. “Vi que ele possuía antecedentes por ser usuário de drogas e também perguntei se ele tinha interesse de largar aquela vida e retornar para casa”, comentou o policial. “Quando ele disse que sim, já pensei no contato com a Embaixada. Depois começamos os contatos com o Consulado”, lembra. “O Google Tradutor foi fundamental no contato posterior, com os familiares dele”, completou.

E esses contatos, com os familiares, passaram a ser mais frequentes e a Embaixada acabou enviando a passagem de Ahmed para o email do policial. “Graças a Deus conseguimos resolver essa história. Uma história triste, mas com um final feliz”, comemorou o sargento.

Assim, nesta segunda-feira, dia 14, Ahmed embarcou no Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis, em direção ao Rio de Janeiro.

Fonte: POLÍCIA MILITAR