Chapecó | 10.07.2017 | 18h16 Economia

Na contramão: sobem juros do cartão de crédito e do cheque especial

Anefac atribui à alta da inadimplência.

As taxas do rotativo do cartão de crédito e do cheque especial subiram mesmo em um cenário de queda nos juros. O movimento apareceu na pesquisa de junho da Associação Nacional de Executivos de Finanças.

Desde outubro do ano passado, o Banco Central segue com o processo de flexibilização da política monetária, fazendo cortes na Selic, taxa referência na economia brasileira. Além disso, foram implementadas mudanças no rotativo do cartão de crédito para reduzir o juro.

A coluna perguntou exatamente isso ao diretor da Anefac, Miguel de Oliveira. O executivo concordou que seria esperada uma queda nas taxas, mas argumenta que há outro fator que eleva as taxas: a inadimplência.

- É a inadimplência que provoca aumento do risco de os bancos não receberem. Quando aumenta a inadimplência, os juros sobem. Isso é o que está ocorrendo, conforme mostrou a pesquisa recente da Serasa.

O rotativo do cartão de crédito é o juro mais elevado da pesquisa: 355,11% ao ano. Em seguida, está o cheque especial, com taxa média de 303,6%.

São pesquisadas seis linhas de crédito para pessoa física. Apesar da alta em duas delas, a redução das demais permitiu que a média recuasse. Com isso, a taxa de juros média geral para pessoa física teve uma pequena queda de 0,01 ponto percentual. Foi a sétima redução consecutiva.

Pessoa Jurídica - Das três linhas de crédito pesquisadas, todas reduziram suas taxas de juros no mês.

Tendência - A queda da inflação abre espaço para novas reduções da Selic pelo Banco Central. Com base nesta perspectiva, o diretor da Anefac projeta novas reduções para o consumidor, já que cai o custo de captação dos bancos. O que pode travar esta tendência é a inadimplência seguir aumentando, ainda mais com o desemprego elevado.

Fonte: RÁDIO GAÚCHA