São Paulo | 29.03.2018 | 17h10 Política

Maluf tem desconforto respiratório na cadeia e não há previsão de alta

Depois de ter a prisão domicilar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, o deputado federal afastado Paulo Maluf, do PP de São Paulo, ainda permanece hospitalizado em Brasília, sem previsão de quando virá para São Paulo.

De acordo com boletim médico, divulgado no fim da manhã desta quinta-feira, Maluf apresentou leve desconforto respiratório na madrugada e será submetido a novos exames de controle para possível alta hospitalar.

Ele foi internado na madrugada desta quarta-feira (28) depois de sérias complicações no seu quadro de saúde. A previsão inicial era de que ele ficaria internado por 3 dias para fazer exames.

Maluf cumpre pena de sete anos e nove meses de prisão no complexo da Papuda desde dezembro do ano passado, por decisão do ministro do STF, Edson Fachin.

Ele foi condenado por lavagem de dinheiro, crime cometido na época em que foi prefeito de São Paulo, entre 1993 e 1996.

Os pedidos de prisão domiciliar já haviam sido negados nas instancias inferiores e no Superior Tribunal de Justiça até a concessão pelo ministro Dias Toffoli.

Na decisão, Toffoli cita a internação de Maluf, ocorrida na madrugada de quarta-feira e a defesa comprovou ser grave a situação de saúde do ex-político na prisão.

O ministro ainda determinou que o caso seja analisado pelo plenário do Supremo.

Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

Fonte: AGÊNCIA BRASIL