Bocaina do Sul | 23.08.2019 | 08h11 Polícia

Jovem da região que estava desaparecida é encontrada morta às margens da BR-282

Tatiana dos Santos foi reconhecida na tarde desta quinta-feira (22) pelo setor de papiloscopia do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Lages, que comparou suas digitais; e por familiares que reconheceram as roupas.

A vítima tem 20 anos e iria fazer 21 no próximo sábado. Ela foi encontrada morta na manhã de terça-feira (20), às margens da BR-282, próximo à empresa Ecoplast, em Bocaina do Sul, na Serra Catarinense.

Os pais moram em Xanxerê e Tatiana morava com uma irmã em Seara. Segundo o delegado, Márcio Shultz, responsável pelo caso, os familiares contaram que a garota teve um desentendimento com a irmã no fim de semana e na segunda-feira (19), fez as malas e saiu sem dizer para onde iria.

As investigações também envolveram as polícias de Seara, Xanxerê e Concórdia. “Em Xanxerê foi onde encontramos os pais, e lá soubemos que ela morava em Seara com a irmã. A Delegacia da Mulher de Seara e Concórdia estão fazendo diligências para tentar saber como ela saiu de lá, se saiu com alguém. A partir do conhecimento da morte da menina, talvez alguém da região pode dar algum indicativo se viram ela pegar alguma carona, com quem ela saiu e como. Ficamos um pouquinho na dependência das informações dos colegas do Oeste”, explica o delegado.

Pelo que foi apurado, o crime teria acontecido durante a madrugada de terça-feira. A Polícia Rodoviária Federal encontrou o corpo na rodovia e a Polícia Civil foi acionada. Desde então, o corpo estava no Instituto Geral de Perícias (IGP).

Tatiana não portava documento e nem bagagem, o que dificultou o reconhecimento. Sobre a morte há possibilidades. A hipótese mais razoável é que ela tenha sido agredida em outro local e deixada ali inconsciente ou agonizante.

Na sequência, teria sido atropelada por um caminhão, pois havia sinais de dois pneus no corpo e, além disso, ela não ofereceu resistência indicando que quando foi atropelada estava deitada. O rosto ficou bastante desfigurado.

Fonte: CORREIO LAGEANO