Chapecó | 09.07.2017 | 08h39 Esportes

Inter faz gol no fim e empata com o Criciúma em 1 a 1 no Beira-Rio

Klaus empatou nos acréscimos do segundo tempo.

Klaus salvou o Inter de perder mais um jogo em casa. Sem a qualidade ofensiva que se esperava, veio do zagueiro, de cabeça, aos 48 do segundo tempo, o gol do empate em 1 a 1 do Inter com o Criciúma diante de mais de 25 mil pessoas no Beira-Rio — pelo menos 1,5 mil catarinenses.

Guto Ferreira fez sete mudanças no time da rodada anterior. O único jogador que não voltava foi Cláudio Winck, que fez sua reestreia na equipe principal. O desenho era mesmo o 4-3-1-2, mas com liberdade para meias e laterais chegarem ao ataque.A marcação alta, a pressão, a falta tática, tudo o que foi treinado começou sendo executado. Mas aos seis minutos, o antigo problema da bola aérea reapareceu.

Uma cobrança de falta para a área não foi cortada. Além disso, todos os rebotes das conclusões foram do Criciúma. Lucão pegou o último deles e, de voleio, fez 1 a 0.

Um pouco atordoado com o golpe, o Inter levou sete minutos para reagir. Aos 12, Edenilson deu passe para Nico concluir duas vezes. A segunda passou a centímetros da trave.

A pressão seguia intensa, mas desta vez havia, de fato, uma retranca para ultrapassar: uma linha de quatro jogadores na defesa e outra de cinco à frente. Assim, as tentativas esbarravam em algum jogador do Criciúma. Cláudio Winck, pela direita, era o melhor escape. Quase ponteiro, chegava à linha de fundo, mas nunca encontrava um pé colorado para empurrar a bola.

O primeiro chute de Pottker foi aos 30. Gutiérrez fez um lançamento de 40 metros, o atacante superou a defesa, mas arrematou para fora.
O chileno voltou a aparecer no lance seguinte, ao receber de Uendel e chutar por cima. Seguia a pressão. D'Alessandro armou, Nico dominou e chutou, para fora.

Aos 41, a melhor oportunidade. D'Alessandro fez a assistência na cabeça de Pottker, que desviou, mas Luiz defendeu.

O segundo tempo começou em alta velocidade. Aos 50 segundos, Pottker teve vitória sobre a zaga, passou também pelo goleiro, já desequilibrado, e a bola sobrou para Nico chutar em cima de Edson Borges. No minuto seguinte, o Beira-Rio presenciou uma cena varzeana. Lucão se chocou com Cuesta e pediu atendimento. Ao ser levado para o carro, se atirou da maca. Houve bate-boca entre jogadores colorados e médico do Criciúma.

E no lance seguinte, um erro grave da arbitragem prejudicou o Inter. Uendel, em posição legal, recebeu cruzamento na área e ajeitou para Pottker fazer o gol. O bandeira assinalou impedimento. Um minuto mais tarde, D'Alessandro quase fez um golaço por cobertura, mas a bola passou ao lado da trave.

Outro lance polêmico ocorreu aos 13. Nico recebeu de Edenilson e chutou na trave, mas estava impedido.

Aos 20, as duas primeiras substituições: saíram Nico e Gutiérrez, entraram Brenner e Diego. O Criciúma mexeu: Barreto deu lugar a Jocinei.
Os catarinenses voltaram a chutar aos 25, em falta de Fabinho para fora.

Aos 29, o sinal definitivo. Diego, D'Alessandro e Uendel tabelaram. O lateral bateu cruzado. Quase em cima da linha, sem goleiro, Brenner conseguiu jogar para fora.

A última ficha de Guto foi Juan na vaga de Cláudio Winck. E imediatamente após sua entrada, Brenner chutou, o goleiro espalmou a primeira e também a segunda, de Pottker.

Juan e Brenner também puderam empatar. O primeiro ao chutar por cima. O segundo, ao não dominar um passe na única falha de Edson Borges.

Aos 48, quando nada mais parecia funcionar, Diego cobrou escanteio e Klaus voou para empatar, de cabeça.

Fonte: WH3