Chapecó | 20.09.2019 | 12h50 Saúde

Hospitais do SUS reduzem superlotação e tempo de espera em emergências

Quase dois dias a menos de internação hospitalar e redução de mais de quatro horas no pronto-socorro. Esses são alguns dos resultados do segundo ciclo do Projeto Lean nas Emergências, em 20 unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) participantes. Os números foram divulgados nesta quarta-feira, 18, pelo Ministério da Saúde (MS). Em Santa Catarina, o Hospital Hans Dieter Schmidt (HHDS) é uma das unidades participantes desse ciclo.

Para o diretor do HHDS, Evandro Rodrigues Godoy, as mudanças com o uso das ferramentas do Lean são notáveis. "Conseguimos observar um maior engajamento da equipe, além de termos uma resposta mais rápida para resolvermos a lotação no pronto-socorro", observa. Godoy também ressalta que o projeto tem trazido uma mudança de cultura para o hospital. "Esse movimento visa a proporcionar à sociedade catarinense uma vida mais longa e com mais qualidade através de um atendimento mais resolutivo e que permita eliminar gradativamente todo e qualquer desperdício", pontua.

No geral, os 20 hospitais participantes mostraram redução de 55% do indicador de lotação, 44% na diminuição do tempo de permanência de internação e 40% na redução do tempo de passagem pela urgência até a alta. De acordo com o MS, isso garante não só uma maior oferta de leitos dos hospitais como a diminuição do desgaste emocional do paciente, de seu acompanhante e da equipe médica.

Após a intervenção, o período de espera no pronto-socorro das unidades passou de 11 horas para, em média, seis horas e 20 minutos. O paciente que busca atendimento nessas emergências fica quase quatro horas e meia a menos no pronto-socorro, considerando o período desde a entrada na unidade de saúde, passando pela triagem, consulta, administração de medicamentos e exames, até a alta médica. Esse resultado é reflexo da organização dos fluxos.

Ao todo 36 hospitais de todas as regiões do país fizeram parte das duas primeiras etapas, nas quais 800 profissionais foram treinados na metodologia Lean nos serviços de emergência. Em julho, o MS lançou o terceiro ciclo com 20 hospitais participantes, em uma parceria com o Hospital Sírio-Libanês. Dentre eles estão o Hospital Hans Dieter Schmidt, em Joinville, e o hospital Governador Celso Ramos, de Florianópolis. No primeio ciclo participou o Hospital Regional São José.

Sobre o Lean

O Projeto Lean nas Emergências é realizado pelo MS em parceria com o Hospital Sírio Libanês, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS). Em 2019 completa dois anos e tem como principal objetivo reduzir a superlotação dos serviços de urgência e emergência do SUS. O projeto já está no terceiro ciclo, executando a terceira visita de intervenção nos hospitais participantes para implementação das ferramentas de gestão.

Fonte: SC.GOV.