Chapecó | 01.06.2020 | 17h15 Polícia

Golpe que promete liberar saldo do FGTS atinge 90 mil pessoas

Durante a pandemia do novo coronavírus, muitos golpistas aproveitam situações de maior vulnerabilidade e o noticiário sobre auxílios do governo para elaborar novas maneiras de enganar a pessoas e ganhar dinheiro às custas delas.

O mais novo golpe que circula pelas redes sociais e aplicativos de mensagens promete um pagamento de R$ 1.045,55 do FGTS, para isso, seria necessário consultar a disponibilidade através de um link.

Segundo Emilio Simoni, diretor do dfndr lab - laboratório especializado em segurança digital da PSafe -, quando a vítima informa seus dados no link malicioso, fica vulnerável ao vazamento dessas informações pessoais, que podem ser usadas pelo cibercriminoso para realizar a assinatura de serviços online e até para abrir contas em bancos com os dados roubados.

"Outro problema é quando a vítima compartilha o link malicioso com seus contatos, ela torna-se um vetor de disseminação do golpe, o que garante aos cibercriminosos um crescimento acelerado dos ataques", explica Simoni.

Até o momento, o dfndr lab detectou mais de 90 mil acessos e compartilhamentos desse golpe, sendo os principais focos os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

A dinâmica deste golpe já havia sido observada anteriormente em outros ciberataques, como o que prometia o cadastro no programa de Auxílio Emergencial do Governo.

No entanto, diferente do primeiro golpe identificado, a vítima ainda é redirecionada para uma página que solicita permissão para o envio de notificações pelo celular.

"Quando a vítima concede permissão para o envio das notificações, os criminosos podem utilizar dessa permissão para enviar propagandas, com as quais lucram, e até mesmo enviar novos golpes.", alerta Emilio.

Confira abaixo algumas dicas dadas pelos especialistas para ficar protegido contra golpes de links maliciosos:

1 - Os aplicativos de conversa são os principais meios utilizados para disseminar golpes digitais. Utilize soluções de segurança no celular que disponibilizem proteção em tempo real contra sites maliciosos.

2 - Evite fornecer seus dados pessoais sem antes saber se o site é oficial e confiável.

3 - Tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Antes de compartilhar informações, procure em veículos confiáveis e fontes oficiais, jornais e sites para confirmar se aquilo é realmente verdadeiro.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

Fonte: R7.COM