Abelardo Luz | 13.09.2018 | 08h48 Polícia

Foragido do presídio de Xanxerê é morto a tiros após tentar assassinar família de agricultor

Um homem de 23 anos, foragido do presídio de Xanxerê, foi morto a tiros após tentar assassinar uma família de agricultores em Abelardo Luz, na mesma região. Conforme a Polícia Civil, um agricultor confessou ter disparado contra Juliano Bernardi Liria em legítima defesa, após a mulher ter sido ferida a facão. Um homem foi detido e depois liberado.

O caso ocorreu por volta das 7h00 da última terça-feira (11). A casa da família fica em uma área de assentamento e, pelo relato dado à Polícia Militar, Liria e dois irmãos dele chegaram à residência com espingardas e um facão.

Segundo a Polícia Civil, houve uma discussão e a mulher do agricultor foi ferida com golpes de facão. O agricultor teria reagido atirando no detento foragido, em uma perseguição em um matagal.

“Eles teriam ido lá pra tirar satisfação com o dono da casa, o casal. E o casal recebeu eles a tiros”, disse o delegado Gustavo Oliveira Altemar, a partir de informações repassadas por um dos três que abordou a família. A motivação ainda está em investigação.

Segundo o delegado, após a morte de Liria, os dois irmãos dele foram à residência do irmão do agricultor e tentaram incendiar a casa e golpeá-lo com um facão, por volta das 8h30, mas não conseguiram. Eles fugiram, mas depois um foi capturado com a ajuda do canil da PM.

Liria era natural de Xanxerê, tinha passagem na polícia por homicídio (quando ainda era adolescente) e estava cumprindo pena por roubo.

A ocorrência mobilizou guarnições da PM de toda a região - Ouro Verde, Bom Jesus, Ipuaçu, São Domingos, Xanxerê, além de Abelardo Luz.

Investigação

O agricultor prestou depoimento nesta quarta-feira (12) na Polícia Civil. Ele estava acompanhado de um advogado e alegou legítima defesa. Uma arma que ele diz ter usado no crime foi entregue e irá passar por exame balístico.

A Polícia Civil ainda vai ouvir a mulher ferida. De acordo com a PM, ela foi levada para o Hospital Rogacionista Evangélico de Abelardo Luz e depois transferida para unidade médica de Chapecó.

Foto: Flavio Carvalho/Divulgação

Fonte: G1 Santa Catarina