Chapecó | 01.05.2018 | 13h56 Tecnologia

Facebook expande testes de recurso que permite 'negativar' comentários

O Facebook começou a expandir um experimento iniciado no início deste ano. Usuários da rede social na Nova Zelândia e na Austrália começaram a reparar em um novo botão, que permite “negativar” comentários em publicações, no estilo visto em páginas como o Reddit, em que há a opção de dar um voto positivo ou negativo para uma publicação e influenciar o seu nível de exposição.

O recurso já havia sido disponibilizado para alguns usuários da rede social nos Estados Unidos, e o fato de ter chegado à Austrália mostra que ele está se espalhando e pode vir a se tornar o padrão da rede social dentro de algum tempo.

Apesar de a funcionalidade ser imediatamente associada com o lendário e tão pedido botão “não curti”, ou “dislike”, o Facebook entende a ferramenta como uma forma de melhorar a seção de comentários de uma publicação com a ajuda do público. Se o comentário for perspicaz ou útil, a setinha para cima está lá para dar maior visibilidade; se, caso contrário, ele for desrespeitoso ou publicado com más intenções, a setinha para baixo ajuda a coloca-lo em segundo plano.

O Facebook diz que “é OK discordar de uma forma respeitosa” para tentar desencorajar a prática de negativar comentários só porque eles vão contra sua visão de mundo, mas não há como prever exatamente a forma como o público usará essa ferramenta quando (se) ela estiver amplamente disponível. Também não é possível saber por enquanto como o Facebook lidará com possíveis abusos à ferramenta e qual é exatamente o peso dado a estes votos na hora de decidir o destaque de um comentário.

Também é interessante notar que o sistema não substitui as reações já existentes, pelo menos por enquanto. Ainda é possível dar um “curtir” no comentário, ou usar as outras reações como “haha”, “Grrr”, “Triste”, “Amei” e “Uau”. Também é cedo para dizer se com o sistema de votos as reações têm seu impacto na relevância de um comentário alterado.

Por ser um recurso ainda em fase de testes, sempre existe a possibilidade de o Facebook decidir que a função não é benéfica para o ecossistema e ser descartada. Tudo vai depender de como o público atingido pelo novo recurso reagir.

(Foto: Olhar Digital)

Fonte: Olhardigital