Chapecó | 10.12.2016 | 08h00 Geral

Ex-presidente Lula e seu filho são denunciados por tráfico de influência

O MPF (Ministério Público Federal) em Brasília informou nesta sexta-feira (9) que denunciou à Justiça o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e o filho dele Luiz Cláudio Lula da Silva pelos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia foi presentada no âmbito da Operação Zelotes.

De acordo com o MPF, a denúncia foi feita após as investigações apontarem indícios de envolvimento do petista e de seu filho, além de Mauro Marcondes e Cristina Mautoni – que também foram denunciados – em negociações apontadas pelos investigadores como irregulares e que levaram à compra de 36 caças do modelo Gripen pelo governo brasileiro.

Também há indícios de irregularidades na prorrogação de incentivos fiscais destinados a montadoras de veículos por meio de uma Medida Provisória. Segundo o MPF, os crimes foram praticados entre 2013 e 2015, quando Lula já era ex-presidente.

O Ministério Público afirma que ele integrou um esquema que visava beneficiar empresas automotivas, clientes da Marcondes e Mautoni Empreendimentos e Diplomacia LTDA (M&M). De acordo com as investigações, o ex-presidente prometia interferir junto ao governo federal para beneficiar as empresas.

Em troca, o casal Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, donos da M&M, teriam repassado ao filho de Lula pouco mais de R$ 2,5 milhões.

Veja abaixo por quais crimes cada um dos quatro envolvidos foram denunciados:

Luiz Inácio Lula da Silva – tráfico de influência (três vezes), Lavagem de dinheiro (nove vezes), Organização criminosa.

Luis Cláudio Lula da Silva – lavagem de dinheiro ( nove vezes) e organização Criminosa.

Mauro Marcondes – tráfico de influência (três vezes), Lavagem de dinheiro (nove vezes), Organização criminosa e evasão de divisas (uma vez).

Cristina Mautoni – tráfico de influência (três vezes), Lavagem de dinheiro (nove vezes), Organização criminosa e evasão de divisas (três vezes). (AG)

Fonte: O SUL