Chapecó | 21.03.2019 | 08h29 Esportes

Em jogo fraco, Chapecoense e Tubarão não saem do empate sem gols

Resumão

A expectativa de que a Chapecoense apresentasse um bom futebol após a demissão de Claudinei Oliveira era grande, mas o time novamente fez um jogo de pouca inspiração na Arena Condá. Contra o lanterna Tubarão, o Verdão empatou em 0 sem levar grande perigo ao gol de Junior Belliato. Uma bola na trave foi a chance mais clara dos donos da casa. O Peixe, por sua vez, teve um bom desempenho defensivo, mas também não levou perigo a João Ricardo.

Panorama

Com o empate, os dois clubes permaneceram na mesma colocação. A Chape, com 25 pontos, é terceira. O Tubarão, com oito, é o lanterna.

PRÓXIMA RODADA

A Chape volta a entrar em campo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), contra o Hercilio Luz, fora de casa. O Tubarão joga um dia depois, no Domingos Gonzalez, contra o Brusque, às 20h.

Pouca mudança

A Chape teve à beira do campo o técnico interino Emerson Cris, mas o profissional ainda não conseguiu dar sua cara ao time. Apesar da mudança no esquema para um 4-4-2, em termos práticos o Verdão continuou sendo um time de poucos recursos para chegar ao gol adversário.

Lanterna acesa

O Tubarão segue a passos largos o caminho do rebaixamento. A equipe está no terceiro técnico da temporada e tem apenas uma vitória no estadual. A reta final será de emoção para o Peixe, que terminou o Catarinense 2018 em terceiro lugar.

Primeiro tempo

A Chapecoense teve domínio na primeira etapa, mas não converteu em grandes oportunidades de abrir o placar. Lourency foi o atleta mais participativo e chegou a carimbar o poste de Belliato em um bom arremate de fora da área, na melhor chance dos donos da casa. Em outra, na cara do goleiro, mandou por cima. O Tubarão tentou a resposta com contra-ataques, mas não levou perigo à João Ricardo.

Segundo tempo

A exemplo da primeira etapa, a Chape dominou a posse de bola, mas teve dificuldade em crias. Aylon foi a opção de Emerson Cris no ataque da Chape, mas o time insistiu em arremates de média e longa distância. Márcio Araújo e Yann Rolim tentaram, mas não conseguiram balançar as redes desta maneira. Com uma boa postura defensiva, o Tubarão manteve a estratégia de sair no contra-ataque, mas sem ameaçar.

Foto: Tarla Wolski/Futura Press

Fonte: GLOBO ESPORTE