Chapecó | 06.12.2016 | 18h41 Economia

Depósito em poupança supera saque, o que não ocorria desde dezembro de 2015

O volume de recursos que os investidores depositaram na poupança em novembro, já descontados os saques, somou R$ 1,881 bilhão, informou nesta terça-feira o Banco Central. Foi o primeiro mês de captação líquida para a poupança desde dezembro do ano passado. Em novembro de 2015, a poupança havia registrado saque líquido de R$ 1,303 bilhão e, em outubro deste ano, saída líquida de R$ 2,712 bilhões.

Em 2016, até o momento, em função da crise econômica, que faz as famílias recorrerem aos recursos da poupança para fechar as contas, foram verificados saques líquidos em todos os meses, com exceção de novembro: R$ 12,032 bilhões em janeiro, R$ 6,639 bilhões em fevereiro, R$ 5,380 bilhões em março, R$ 8,246 bilhões em abril, R$ 6,592 bilhões em maio, R$ 3,718 bilhões em junho, R$ 1,115 bilhão em julho, R$ 4,466 bilhões em agosto, R$ 2,352 bilhões em setembro e R$ 2,712 bilhões em outubro.

No mês passado, de acordo com o BC, o total de aplicações foi de R$ 169,774 bilhões e o de saques de R$ 167,892 bilhões. O estoque do investimento na poupança está em R$ 650,260 bilhões, já considerando os rendimentos de R$ 4,039 bilhões de novembro.

O desempenho em novembro foi inflado pelo pagamento da primeira parcela do 13º salário, que é feito pelas empresas até o dia 30. Foi justamente o dia 30 de novembro que registrou o maior volume de recursos entrando na poupança: R$ 6,164 bilhões líquidos.

No acumulado do ano, porém, a deterioração da caderneta se dá por conta da piora do cenário econômico, com a alta da inflação e do aumento do desemprego. Além disso, outros investimentos se tornaram mais atrativos ao apresentarem rentabilidade maior. A remuneração da poupança é formada por uma taxa fixa de 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR) — esse cálculo vale para quando a Selic (a taxa básica de juros) está acima de 8,5% ao ano. Atualmente, ela está em 13,75% ao ano.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE