Chapecó | 08.10.2020 | 12h12 Geral

Cobra é encontrada em embalagem de brócolis em SC

Uma moradora de Brusque, no Vale do Itajaí, teve uma surpresa ao voltar do supermercado na noite de sábado (3). Após arrumar as compras, a mulher descobriu que, além das verduras e frutas, levou para casa uma cobra dentro de uma embalagem de brócolis. Ela gravou um vídeo contando o episódio, que considerou desagradável.

As imagens que viralizaram nas redes sociais mostram o momento que a mulher encontra a cobra, de ao menos de 30 centímetros, dentro do recipiente de isopor envolto a um plástico transparente.

O supermercado Archer informou que a consumidora foi até o local e a situação foi resolvida. Conforme Luciane da Silva Mafra, gerente do departamento pessoal do estabelecimento, após a devolução do produto, a embalagem não foi manuseada e foi enviada ao produtor na segunda-feira (5) como foi entregue pela cliente.

“Realmente aconteceu, esse caso foi verídico. A cliente veio fazer a devolução e ela entendeu que o caso foi resolvido”, disse. O animal estava vivo no momento da entrega ao produtor, de acordo com Luciane. Apesar do susto da consumidora, o animal não apresenta perigo. “É uma cobra que se alimenta de lesmas. Essas dormideiras têm hábito noturno e são bem lentas”, explica o biólogo Tobias Kunz, especialista em répteis.

Kunz afirma que a espécie conhecida como dormideira não é venenosa e se move muito devagar. “Pela imagem, me parece uma cobra jovem. Elas são bem inofensivas e é bem comum aparecer nessas hortas e enroladas nos legumes”, disse.

Diferenças entre jararaca e dormideira

Apesar de gerar dúvida entre os leigos, há diferenças entre jararacas e dormideiras. De acordo com Kunz, as serpentes peçonhentas, como a jararaca, possuem glândulas especializadas localizadas lateralmente na cabeça. Elas também têm um orifício entre os os olhos e a narina, chamado de fosseta loreal.

“A gente vê logo de cara que é essa espécie [dormideira], mas as pessoas às vezes confundem”, explica o especialista que é um dos colaboradores do livro virtual “Ofidismo em Santa Catarina: identificação, prevenção de acidentes e primeiros socorros”.

Outra característica das cobras venenosas é a cabeça, que geralmente é mais larga que o pescoço e possui uma forma triangular. Já os animais não-venenosos têm uma cabeça mais arredondada, sem ângulos agudos.

O que fazer

Conforme o biólogo Alex Giordano Bergmann, quem encontrar um animal parecido deve evitar colocar as mãos ou se aproximar. A recomendação é para se afastar e chamar órgãos especializados para avaliar a situação. "É para chamar a Polícia Ambiental ou o Corpo de Bombeiros. Eles conhecem os animais e sabem como retirar eles das casas", comentou Alex.

Onde ligar

Entre em contato com os Bombeiros (193) ou com a Polícia Ambiental da sua cidade (190);

Em caso de acidente com serpente, entre em contato com o Samu (192), os Bombeiros (193) ou se dirija ao hospital público mais próximo;

Em caso de dúvidas ou orientações sobre procedimentos de primeiros socorros, ligue para o Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC), pelo telefone: 0800 643 5252.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

Fonte: G1 Santa Catarina