Chapecó | 22.02.2020 | 18h36 Mundo

China usará exército de 100 mil patos para conter praga de gafanhotos

Uma praga de gafanhotos tem tomado os países do lesta da África. A situação crítica tem feito países do continente decretar estado de emergência. Os insetos que atacaram a região, agora sobem para Asia e a movimentação fez com que o governo chinês tomasse uma providência.

O canal de notícias estatal da China divulgou o vídeo dos 100 mil patos sendo enviados como se fossem um exército em direção à fronteira do país, onde combaterão os gafanhotos comendo-os.

Essa não é a primeira vez que o país tem de enfrentar a situação. Em 2000, a China enviou 700 mil animais também para acabar com uma praga de gafanhotos.

Segundo as autoridades chinesas, cada pato consegue controlar 4m² e o número de animais deve resolver a situação. Estimam-se que são cerca de 400 bilhões de gafanhotos.

A Índia enviou drones para pulverizar os gafanhotos no céu. Uganda tentou exterminá-los por terra, usando 2 mil soldados para borrifar pesticida.

Os insetos se aproximam da China por meio da fronteira com o Paquistão que enfrenta a pior infestação de gafanhotos das últimas duas décadas. O país declarou uma emergência nacional por causa dos enxames no início deste mês.

Os gafanhotos do deserto, grandes herbívoros, chegaram do Irã e já danificaram algodão, trigo e outras culturas. Condições climáticas favoráveis e uma resposta tardia do governo ajudaram os insetos a atacarem as áreas de cultivo, e seu potencial para destruição em larga escala está aumentando o medo de insegurança alimentar no país.

Khusro Bakhtiar, ministro de Segurança Alimentar do Paquistão, informou que o enxame está atualmente na fronteira entre o país e a Índia. “Foram tomadas medidas contra o inseto em mais de 121 milhões de hectares e 20 mil hectares foram pulverizados”, disse ele.

Nos últimos meses de 2019, enxames de gafanhotos do deserto invadiram o leste da África, devastando colheitas, dizimando pastagens e aprofundando uma crise de fome. As Nações Unidas dizem que centenas de milhões de insetos invadiram a região do Chifre da África no pior surto em um quarto de século.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP

CLIQUE AQUI E SIGA O PORTAL ACONTECEU NO INSTAGRAM

Fonte: Jornal de Brasília