Belo Horizonte | 27.05.2019 | 11h10 Esportes

Chapecoense vence o Cruzeiro e mantém escrita fora de casa

Mantida a escrita, e com o melhor resultado possível. A Chapecoense venceu o Cruzeiro no Independência na noite deste domingo,(26) e segue sem saber o que é perder para a Raposa em Minas Gerais. A Chape saiu na frente, sofreu o empate e pressão, até encontrar o gol do triunfo no final da partida: 2 a 1. Com o resultado, o Verdão subiu quatro posições na classificação do Brasileirão - está em 12º - e ainda empurrou o time de azul para perto da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, a sétima do Brasileirão, tem embate de Verdões em Chapecó. A Chape vai enfrentar o líder Palmeiras às 16h de domingo, na Arena Condá. Já o Cruzeiro vai estar no Morumbi para jogo no mesmo dia e horário, contra o São Paulo.

Deu pinta que o Cruzeiro iria dominar a partida, por conta da posse de bola e a presença no campo ofensivo. No entanto, a Chapecoense não passava sufoco e tentava uma escapada o quanto antes para assustar o time da casa. Conseguiu aos 11. Após tabela com Everaldo, Rildo mandou bala e parou na trave, depois de leve desviou de Fábio com o pé. Sem dar mais brechas, a Raposa retomou a proposta. Porém, o Verdão seguiu eficiente na defesa e completou os primeiros 30 minutos de partida sem que Tiepo fosse obrigado a fazer alguma defesa difícil.

Toma lá, dá cá. A melhor chance do Cruzeiro foi aos 42, que também parou na trave. Em cobrança de falta, Thiago Neves soltou a bomba que triscou o poste direito de Tiepo e saiu pela linha de fundo. Três minutos antes, o próprio jogador tinha levado perigo com um chute forte da intermediária que passou sobre o travessão. Os mandantes voltaram com ainda mais vontade do intervalo e no terceiro minuto da etapa complementar a Chape se safou. Fred acertou a trave e na sobra Robinho mandou pro gol. Em cima da linha, Gum evitou.

Foi então que a Chapecoense conseguiu a abertura do placar. Aos seis, Elicarlos arriscou de longe e Fábio falhou, soltou a bola. Rildo apareceu para tomar a redonda e cutucar para as redes. Mas a vantagem do Verdão não durou muito. Passados cinco minutos, aos nove, Thiago Neves se desmarcou na frente da área para receber a bola, girar e mandar a lajota inapelável para Tiepo: 1 a 1.

A esta altura, a Chape já contava com Bryan na lateral direita na vaga de Caíque Sá, enquanto o Cruzeiro havia colocado Pedro Rocha e Lucas Silva em campo. Na tentativa de um time mais agressivo, o técnico Ney Franco colocou Diego Torres em ação e sacou Campanharo. Mesmo assim, era a equipe de azul que incomodava. Por duas vezes, com Robinho e Fred, a Raposa não conseguiu a virada após cruzamentos rasteiros com os jogadores de frente para o gol. A Chapecoense se arrumou e não passou mais aperto. Mas o desfecho da jornada em Belo Horizonte seria ainda melhor.

Aos 39, Everaldo encontrou no lado direito de ataque Aylon, que havia entrada instantes antes na vaga de Rildo. O atacante foi ao fundo e cruzou. Achou Diego Torres no meio da área, livre, para cabecear no contrapé de Fábio e celebrar o tento da vitória.

Fonte: NSC total