São Paulo | 05.06.2019 | 14h41 Esportes

CBF limpa imagem de Neymar. Vice crava: não disputará a Copa América

A CBF usou a mesma estratégia do Canarinho Pistola com Neymar, na chegada da delegação em Brasília.

Para conseguir boas fotos e vídeos, para garantir chamadas das tevês e imagens em portais e jornais, o jogador acusado de estupro foi para bem perto dos poucos torcedores que esperavam pela Seleção.

E lógico que eles se aglomeraram, quando viram Neymar ir em direção deles. O jogador chegava sorridente, iluminado pelas luzes das câmeras das tevês.

A população de Brasília é muito carente em relação ao futebol. Tem o estádio mais caro construído com o dinheiro público para a Copa do Mundo de 2014. R$ 1,9 bilhão custou o Mané Garrincha.

Só que não há equipe sequer na Série B do Brasileiro. O estádio é assumidamente um elefante branco, enorme desperdício.

Mas como é a capital do país e conta com a força dos políticos, a cúpula da CBF adora agradá-los. Por isso faz a Seleção jogar por lá. E a volúpia dos brasilienses com os jogadores é algo mais do que esperado.

Por isso se sujeita a pagar entre R$ 75,00 e R$ 600,00 para o amistoso de hoje, contra o fraquíssimo Qatar. Só que as fotos e vídeos arranjados para aliviar a imagem de Neymar, já circulam pelas redes sociais, as palavras do vice-presidente da CBF, Francisco Novelletto, repercute.

"Se o Neymar vier para a Copa América, é capaz de o Brasil não chegar. Eu conheço a imprensa. A imprensa vai pegar no pé. E tem muito mais coisa para aparecer. Um amigo meu do Rio de Janeiro disse que tem mais um vídeo para ser jogado na rua.

"Então, se eu sou o Neymar se eu tivesse que apostar, se eu tenho 10 fichas e me perguntassem no que eu apostaria: aposta que vem ou que ele vai pedir licença?

Aposto que ele não virá e que ele pedirá licença. Ele não tem condições psicológicas para enfrentar uma Copa América e um batalhão de jornalistas", disse, ontem, em Porto Alegre.

O dirigente é muito próximo do presidente Rogério Caboclo. E não se intimidou. Seguiu nas críticas ao camisa 10 da Seleção.

"A torcida já ficou uma bronca com ele com a fama de cai-cai. Imagina se ele erra dois ou três passes e não vai bem no primeiro jogo? A própria torcida vai pegar no pé.

"A CBF não pode cortar. "Foram para cima do Tite com a pergunta: seria bom cortar? Veja bem, estou falando por mim, se ele pedir licença, teria um bom senso da CBF.

"O Tite jamais vai cortar. "Mas se partir dele, a CBF vai ceder", garantiu Novelletto.

Ele acredita que o clima criado pela acusação de estupro ficou pesado demais.

"A CBF não pode julgar o Neymar. Isso não é papel dela. Mas imagina como está a cabeça dele com essa situação toda. Se eu fosse ele, pediria dispensa por tudo o que envolve esse momento."

O vice-presidente e presidente da Federação Gaúcha de futebol já preparou o clima. No domingo, a Seleção Brasileira e Neymar estarão em Porto Alegre.

O time de Tite enfrentará Honduras. Porto Alegre não costuma ter muita paciência com a Seleção. Principalmente com Neymar.

Em 2015, por coincidência, contra a mesma seleção hondurenha, o time brasileiro foi vaiado. Neymar saiu irritadíssimo. E disse.

"Mete o pé, vamos embora", se recusando a cumprimentar a torcida e querendo que seus companheiros virassem as costas às arquibancadas.

A recepção gaúcha já começou com Novelletto...

Fonte: PORTAL R7