Chapecó | 22.05.2018 | 07h18 Mundo

Catarinense alcança o cume do Everest, a montanha mais alta do mundo

O empresário e triatleta André Borges, 49 anos, de Criciúma, Sul do estado, é o primeiro catarinense a alcançar o topo da montanha mais alta do mundo. Ele concluiu a aventura nesta segunda-feira (21), após escalar os 9 mil metros do Everest, localizado entre a China e o Nepal. Era um sonho de vida, que foi interrompido na primeira vez por causa de um acidente.

Em 2014, André tentou escalar o Everest, mas uma avalanche gigantesca no dia 18 de abril daquele ano provocou a maior tragédia da história da montanha. André sobreviveu, mas 16 pessoas morreram. Ele contou que houve um atraso de um dia da sua equipe, e isso evitou do grupo estar no local no momento da avalanche.

Os mortos eram guias que tinham começado a caminhada para preparar a subida do grupo, conforme relatos dos alpinistas. Por causa do acidente, o governo do Nepal fechou a entrada da montanha.

Quatro anos depois, ele voltou e conseguiu. A expedição começou há quase dois meses. André saiu de Criciúma e chegou no Nepal no final de março. Foi o 22º brasileiro a chegar ao cume da montanha.

Em vídeos publicados nas redes sociais e enviados para a família, o empresário mostrou o início da aventura, contou como era o dia-a-dia na montanha e os perigos de escalar o Everest. "Estou super feliz, depois de quase dois meses, estamos indo escalar esta montanha", disse.

Nesta segunda-feira, ele fez contato com a família com um telefone via satélite e deixou todos mais tranquilos. André deve chegar à base na terça-feira.

"Foi uma coisa que eu não tenho palavras para descrever, porque nunca vivenciei uma situação parecida, de ter um filho que fosse subir naquelas alturas, com perigo de morte a toda hora. Então foi uma emoção que eu estou ainda chocada até agora", disse Teresa Freitas.

O sonho realizado do André também significa alívio para a família. "A gente ficou pensando ‘tomara que dê tudo certo, que realize logo esse sonho dele', assim quem sabe ele não precisa voltar mais", disse a irmã do empresário, Daniela Borges de Freitas.

Foto: Arquivo pessoal/ G1/ Divulgação

Fonte: G1