Chapecó | 28.01.2017 | 16h42 Geral

Bombeiro que atuou no 11 de setembro morre com câncer provocado por inalação de gás no marco zero

Um dos bombeiros que trabalharam no resgate das vítimas do ataque terrorista de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos, morreu em decorrência de complicações de um câncer de esôfago provocado pelo ar tóxico aspirado no atentado. O irlandês Brian J Masterson, de 61 anos, é o 124º bombeiro a morrer por doenças relacionadas ao atentado. Há apenas três dias, outros três bombeiros que atuaram no auxílio às vítimas do atentado também morreram.

Pai de três filhos e corredor de maratona, Masterson esteve exposto à poeira e ao ar tóxico por meses após o atentado, já que continuou trabalhando no marco zero. O velório de Brian aconteceu nesta sexta-feira, em Nova York. De acordo com o canal 'Pix 11', os bombeiros registraram que 850 funcionários foram diagnosticados com câncer relacionado aos trabalhos no marco zero.

Em entrevista ao 'The Mirror', Claudia E. Thomas, fundadora do Grupo de Trabalhadores de Resgate e Amigos do 11 de Setembro, lembrou com carinho de Brian Masterson.

"Ele era o capitão de sua alma e dos corações daqueles que o conheciam. Sua vida foi dedicada ao trabalho que ele amava. Ele começou em 1990 e passou por várias ameaças de vida em emergências", disse.

Nesta quarta-feira, Howard Bischoff, Daniel Heglund e Robert Leaver, que também prestaram serviços de resgate no marco zero, morreram com poucas horas de diferença. As doenças que mataram as vítimas não foram divulgadas. No entanto, todas foram provocadas pela inalação do gás tóxico, segundo a Associated Press.





Fonte: G1