Chapecó | 01.11.2018 | 10h30 Esportes

Boca e River fazem primeira final argentina da Libertadores

Boca igualou 2-2 contra o Palmeiras e selou uma classificação inquestionável para a grande definição dos Libertadores. Ábila e Benedetto marcaram os gols da equipe de Guillermo no Brasil. Nos dias 7 e 28 de novembro, a final contra o River.

O primeiro momento de ansiedade para o Boca na noite de São Paulo chegaria rapidamente, mas também foi prematuramente abortado pelo chamado VAR. Deyverson começou uma jogada que terminou em um gol de Bruno Henrique, então o árbitro Roldán, usando ajuda tecnológica, anulou a meta local. E se isso não bastasse, o Xeneize deu um passe enorme para a final depois de uma grande jogada de Villa que Ábila acabou mandando para a rede. O Palmeiras precisou de 4 gols, seu pessoal praticamente assistiu em silêncio os minutos finais da etapa inicial diante de um mestre do Boca e senhor da partida.

A reação do Palmeiras veio no segundo tempo e da mão do pessoal da defesa. Luan atirou em Rossi com um chute forte e curto, enquanto Gomez trocou por um pênalti que Izquierdoz cometeu em Dudu. O tribunal agora era uma caldeira e Borja tinha o terceiro, mas no momento mais crítico do Boca, Benedetto apareceu. Com a casa a dois gols na classificação, Pipa repetiu a história da primeira partida, fez um chute distante, forte e de canto que fez estéril a reação de Weverton. Foi tudo o que a equipe de Guillermo precisou para selar uma classificação que no balanço de 180 minutos era inquestionável.

O Boca sabe o que é vencer no Brasil e, mais especialmente, derrotar o Palmeiras nos principais jogos da Copa Libertadores. Eu fiz mais uma vez demonstrou suas qualidades, ele tirou os paulistas mais leve do que o 2-2 poderia supor, e atirou-se para a final do torneio mais importante do continente. River, sim River, será o rival em uma série de que todo o país vai falar, mas é claro, antes será Tigre neste sábado de 20 para a Superliga. Para começar a bater uma chave que permanecerá na grande história do futebol mundial.

Fonte: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO