Chapecó | 24.04.2019 | 20h04 Política

Atualização! Arestide Fidélis é solto após decisão do STJ

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu de forma liminar (temporária) a liberdade ao vereador de Chapecó, Arestide Fidélis (PSB). Ele foi solto às 17h30 desta quarta-feira (24), segundo a defesa dele. O político estava preso desde 12 de abril, quando foi condenado em júri popular por sete tentativas de homicídio e dirigir embriagado.

Fidélis foi condenado a oito anos de prisão em regime inicialmente fechado. Ele foi julgado no Fórum de Chapecó por acidentes de trânsito que ocorreram em 1º de maio de 2014 no Contorno Viário Oeste. Na época, ele também atuava como vereador na cidade.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) havia negado que ele saísse da prisão em 2ª instância e ele recorreu ao STJ. A decisão do tribunal superior, feita na manhã desta quarta, dá o direito de o político aguardar recurso em liberdade.

A sentença do júri popular permanece a mesma, conforme o TJSC. A defesa de Fidélis entrou também com recurso para revisão da sentença, o que está sendo analisado pelo tribunal catarinense.

A defesa do político informou que o vereador continua como presidente da casa e poderá voltar as suas funções amanhã.

Condenação

O júri popular ocorrer em 12 de abril e o vereador foi levado do julgamento direto para o Presídio Regional de Chapecó.

Segundo a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), o vereador dirigia embriagado um Corolla no bairro Santo Antônio em Chapecó em 2014. Ele invadiu a contramão e bateu lateralmente em um EcoSport.

De acordo com o MPSC, o motorista deste último veículo conseguiu desviar, o que evitou uma colisão frontal. Havia três pessoas no carro e nenhuma se feriu.

Em seguida, o vereador fugiu, conforme a denúncia. Depois, bateu frontalmente com um Logan. Nele, estavam quatro pessoas, entre elas um menino de 9 anos e uma adolescente de 13. Os adultos e a criança tiveram ferimentos leves. A adolescente ficou gravemente ferida.

Depois da segunda batida, ainda de acordo com a denúncia, o vereador fugiu a pé e pediu a ajuda de moradores para escondê-lo. Ele foi preso em flagrante e ficou 33 dias detido no Presídio Regional de Chapecó.

Foto: Reprodução/NSC TV/ Divulgação

Fonte: G1 Santa Catarina