Chapecó | 08.02.2017 | 20h37 Geral

Após ser barrada, bebê iraniana com doença cardíaca chega aos EUA

Mundo – Uma bebê iraniana que precisa de uma cirurgia cardíaca chegou com sua família na terça-feira (7) a um hospital de Portland, nos EUA, depois de ter sido temporariamente proibida de entrar no país devido ao decreto anti-imigração do presidente Donald Trump.

Fatemeh Reshad, de 4 meses, precisa com urgência de uma cirurgia cardíaca. No mês passado, médicos iranianos em Teerã disseram à família que a bebê tem anormalidades estruturais no coração e corre risco de morrer se não passar pela operação.

A ida da família para os EUA tinha sido cancelado a abruptamente depois que Trump anunciou sua ordem executiva proibindo a entrada de pessoas de sete países com maiorias muçulmanas, entre eles o Irã. A menina e seus pais tiveram que retornar para casa.

Inicialmente, a criança e os pais haviam embarcado em um voo para Dubai no sábado (28), mas tiveram que retornar para o Irã. Na ocasião, as autoridades afirmaram que eles não poderiam viajar para os EUA por conta do veto imposto por Trump a pessoas do Irã e outros seis países.

No entanto, antes mesmo de a Justiça americana bloquear o decreto de Trump, um juiz de Seattle emitiu uma ordem permitindo a entrada da bebê e sua família nos EUA, após vários políticos, como o senador Jeff Merkley (Oregon) e o governador de Nova York, Andrew Cuomo, pedirem exceção para a criança.

Após a bebê chegar a Portland, a médica Laurie Armsby, chefe interina da divisão de cardiologia pediátrica no hospital infantil OHSU Doernbecher, disse que “Fatemeh parece bem”. Segundo ela, a criança está passando por exames para confirmar o diagnóstico.

Segundo a médica Laurie Armsby, a criança está passando por exames para confirmar o diagnóstico (Foto: Kristyna Wentz-Graff/OHSU via AP)

Fonte: RÁDIO ATUAL FM