Chapecó | 23.10.2019 | 18h23 Saúde

Alergias de pele: conheça os tipos mais comuns e como combater

A alergia de pele é muito comum e pode surgir por uma série de fatores diferentes em praticamente qualquer pessoa.

Pensando nisso e levando em conta a coceira causada por essa condição, descubra agora os tipos mais comuns e como combater.

Assim, você pode entender melhor a sua condição e conseguir resolver sem sofrimento e sem vermelhidão. Vamos lá?

4 tipos de alergia mais comuns
É importante ressaltar que a alergia é definida como uma reação natural do corpo, que resulta em inflamação.

Geralmente, a coceira ou reação começa devido a sensibilidade individual do ser humano em relação a um estímulo.

É importante dizer que cada um reage de uma forma, mesmo que existam estímulos mais comuns que causam vermelhidão, inchaço e até aquelas bolinhas na pele.

- Urticária:
A urticária é um dos tipos de alergia mais comuns e que atinge milhares de pessoas.
Geralmente, os sintomas da urticária incluem pele vermelha, coceira e lesão da pele, causando relevo no tecido que parecem formar placas.

Normalmente, a coceira aparece logo após o contato com o estimula, gerando o processo alérgico, em poucos minutos.
A urticária é bastante conhecida por ser causada por estímulos comuns como picadas de insetos, como abelhas, consumo de alguns medicamentos, contato com substâncias agressivas, como látex e tintas.

Detalhe: a urticária também pode ser causada por agentes comuns, como saliva de animais de estimação.

Ao contrário de outros tipos de alergia, a urticária pode surgir a qualquer momento e independe de você já ter tido contato com aquele agente ou não.
Ou seja, é possível que você toma um remédio ou brinque com animais sem nenhum problema e, depois de adulto, apresente a reação alérgica.

Esse tipo de alergia também pode ser causado por outras origens, como infecções ou mesmo vírus e bactérias.
Assim, você pode ter urticária devido a uma gripe ou infecções.

- Angiodema:
O angiodema é um tipo de alergia semelhante a urticária, mas considerado como mais grave e, por isso, o procedimento para tratamento pode ser diferente.

Dessa forma, esse tipo de alergia causa uma reação nos tecidos mais internos da pele e, diferente da urticária, pode também acontecer nas mucosas, como no nariz e nos lábios.
Enfim, o angiodema é mais comum nos lábios ou língua e nos olhos.

Por ser bastante comum nas vias respiratórios, essa condição pode causas dificuldade para respirar, para se comunicar e até mesmo para falar.
Inclusive, uma morbidade comum dessa alergia é a asma e o choque anafilático, em casos graves.

Outro detalhe relevante é que o angiodema, geralmente, começa com uma coceira, sendo mais comuns em quem já tem quadros de urticária.
Em outras palavras, se você tem reações alérgicas devido a algum agente, as chances de desenvolver angiodema são maiores.

Importante: uma ressalva em relação a esse tipo de alergia é quando o paciente tem uma reação causada por medicamentos que inibem uma enzima chamada de IECA.

Nesse caso, o angiodema não causa coceira ou outras reações, mas resulta em inchaço, dificuldades para respirar e outros problemas.

- Dermatite de contato:
A dermatite de contato é muito comum e facilmente identificada: afinal, o contato gera a reação alérgica.

Essa dermatite pode ocorrer devido ao contato direto com a pele por substâncias que causam a reação ou por outras que são consideradas irritantes.
Com isso, a dermatite acontece por substâncias que, na maior parte dos casos, são inofensivas para outras pessoas.

Exemplo disso são luvas de látex e até camisinhas, já que uma parcela pequena de pessoas tem reação alérgica.
Outros itens que podem causar a dermatite de contato incluem ouro, bijuterias, plantas e flores, borracha, sabonetes, álcool, couro, esmaltes e perfumes.

Os sintomas comuns da dermatite de contato incluem bolinhas e vermelhidão que podem gerar coceira ou ardência.
Essas bolinhas, chamadas de rash, também podem causar rachaduras.

- Dermatite atópica:
Esse tipo de dermatite também é chamado de eczema atópica e se caracteriza por uma lesão no tecido, que pode ser semelhante ao rash e, geralmente, ocorre mais em crianças.
A dermatite atópica, mais especificamente a reação, costumam surgir em áreas de dobra, como atrás dos joelhos, parte de trás dos cotovelos e no pescoço.

Detalhe: nos bebês, esse tipo de dermatite também costuma aparecer nas bochechas.

Ao contrário dos outros tipos de alergia, a dermatite atópica não tem causa conhecida, mas os especialistas acreditam que podem ser um defeito no tecido ou sistema imunológico.
Além disso, pele ressecada ou irritada também pode resultar nessa alergia.
Entre os principais sintomas desse eczema estão a coceira e placas escamosas e espessas, que podem ficar escurecidas.
A dermatite atópica é uma doença crônica e funciona em oscilações, com picos de piora e melhora.

Importante: também existe a dermatite seborreica, que são lesões causadas pelo excesso de glândulas sebáceas, sendo uma condição menos comum.

Como combater a alergia
Para combater a alergia, é essencial suspender o contato com o agente que está causando a reação.
Mais importante que isso, o procedimento inclui buscar ajuda médica para entender qual tipo você tem e iniciar o tratamento adequado.

Do mesmo modo, a dica médica é ter um procedimento diário de limpeza e hidratação, evitando a pele ressecada, que pode causar coceira, rachaduras e irritação.

Já em relação para indivíduos que já tem alergia, o ideal é evitar o contato com o agente alérgico e seguir as recomendações de cuidado que podem incluir uso de medicamentos, cremes e pomadas.

O combate a alergia também é feito com protetor solar, já que o sol pode desencadear coceira e reações.

Conclusão
O procedimento básico de combate a alergia inclui manter a pele limpa, seca, hidratada, protegida e livre de substâncias que causam as reações alérgicas.

No mais, procure um profissional para entender o seu tipo de pele, reações e conhecer a melhor opção de tratamento.

Caso você sinta coceira ou note vermelhidão e outros sinais após entrar em contato com perfumes, remédios, plantas e outros, suspenda o uso e lave a área com água limpa.

Fonte: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO