Brasília | 18.04.2018 | 20h36 Política

À Al-Jazeera, Gleisi diz que Lula é preso político e pede campanha por sua libertação

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), gravou um vídeo para a rede de TV catari Al-Jazeera, veiculado na terça-feira, 17, no qual denuncia que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Operação Lava Jato, seria um "preso político" no Brasil. Na gravação, Gleisi diz que "o objetivo da prisão é não permitir que Lula seja candidato na eleição deste ano e convida "a todos e a todas" a se juntarem à campanha pela libertação do ex-presidente.

Ela ressalta também que Lula é "um grande amigo do mundo árabe" e que em seu governo o comércio com a região "se multiplicou por cinco". "Ao longo da história, o Brasil recebeu milhões de árabes e palestinos, mas Lula foi o único presidente que visitou o Oriente Médio", destacou a parlamentar.

Gleisi afirma que Lula teria sido condenado "por juízes parciais num processo ilegal". "Não há nenhuma prova de culpa, apenas acusações falsas. A TV Globo, que domina a mídia no Brasil, fez uma campanha de mentiras contra Lula. A Globo está pressionando o Judiciário brasileiro a não conceder a liberdade a Lula, apesar de ela estar prevista na Constituição. Isso fere os direitos humanos e fere a democracia brasileira", diz.

A presidente do PT reforçou o discurso e que a prisão de Lula é a continuidade do "golpe" que se iniciou em 2016, com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. "Ela não cometeu nenhum crime, assim como Lula também não cometeu. É um preso político. Ele é inocente."

Em seguida, a senadora diz que "o governo golpista (do presidente Michel Temer) está retirando direitos dos trabalhadores e do povo brasileiro e liquidando com o patrimônio nacional", que as reservas de petróleo estão sendo entregues a multinacionais e que "a política externa passou a ser ditada pelo Departamento de Estado norte-americano".

Foto: Divulgação

Fonte: ESTADÃO